Banco de Redações

outubro

Tema: "Let Her Run": uma mulher tem que provar que é realmente mulher?
PUBLICIDADE

Uma situação no mundo do esporte feminino tem gerado um grande debate. Isso, porque, a atleta sul-africana Caster Semenya perdeu um processo contra a Federação Internacional do Atletismo por ter sido banida de competições no ano de 2019 por apresentar a quantidade de testoterona além do permitido. Ela nasceu com uma disfunção hormonal que produz o hormônio testoterona além do permitido nas competições. Muitos, que se posicionaram contrariamente a decisão, consideram a ação discriminatória, o que alavancou o movimento "Let Her Run". Outros, porém, argumentam que essa disfunção proporciona uma vantagem muito grande para a atleta sul-africana em relação as demais atletas que possuem a quantidade do hormônio adequada. A grande questão é: como agir, então, de forma justa ante a essa situação, tendo em vista que ela não se dopou, sendo comprovado que o corpo dela produz o hormônio em excesso naturalmente? Passa, então, a ser um convite para reflexão. Tendo isso em vista, a proposta do Banco de Redações do Brasil Escola do mês de outubro é: " 'Let Her Run': uma mulher tem que provar que é realmente mulher?"

Para realizar a proposta, você deverá construir um texto dissertativo-argumentativo respondendo ao questionamento da proposta, demonstrar domínio da norma culta da língua, mobilizar diversas áreas do conhecimento, ou seja, seu conhecimento de mundo para desenvolver o tema, respeitando a estrutura do texto dissertativo-argumentativo.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Além disso, você deve levar em consideração os textos apresentados na coletânea, levantar os principais argumentos, dados e exemplos e realizar uma análise crítica, deixando claro seu posicionamento diante do tema na conclusão do texto. Apresente uma proposta de intervenção que respeite os direitos humanos.

Saiba como fazer uma boa dissertação e conheça também as características deste gênero textual?.

ATENÇÃO: as redações serão corrigidas de acordo com os critérios do ENEM, seguindo seu método de análise e pontuação, assim como suas regras. 

Atenção aos motivos que podem zerar sua redação:
1) Fuga total ao tema;
2) Não obediência à estrutura dissertativo-argumentativa;
3) Texto com até 7 linhas;
4) Impropérios, desenhos e outras formas propositais de anulação ou parte do texto deliberadamente desconectada do tema proposto;
5) Redação em branco;
6) Cópia do texto motivador.

Cronograma para envio de redações:
1º período: 1 a 8 de outubro
2º período: 10 a 18 de outubro
3º período: 20 a 27 de outubro

Evite enviar a redação pelo celular. A estrutura do texto pode ficar comprometida e o corretor ortográfico do celular pode trocar as palavras.

As correções estarão disponíveis a partir do dia 2 de novembro.

Enviou sua redação em setembro? Confira aqui a correção.

Saiba como funciona o Banco de Redações!

Como é a redação do Enem

Como fazer uma boa redação

Elabore sua redação considerando as ideias a seguir:

A testosterona "constrói a musculatura", disse Benjamin Levine, médico que estuda a diferença de desempenho atlético entre os sexos no centro médico da Universidade Texas Southwestern. "Constrói músculo esqueletal, constrói músculo cardíaco. Eleva o número de glóbulos vermelhos no sangue".

Os efeitos são vistos quer o hormônio esteja naturalmente presente, quer seja introduzido por meio de medicação. Em um dos exemplos mais infames, mulheres que representaram a Alemanha Oriental em jogos olímpicos realizados nas décadas de 1970 e 1980 conseguiram sucessos notáveis depois de serem dopadas, sem que soubessem, com anabolizantes esteroides que continham testosterona.

"O lado científico é bem claro", disse o médico Aaron Baggish, do Massachusetts General Hospital, especialista em efeitos da testosterona. "Um corpo com mais androgênios tem vantagem de desempenho". [Folha de São Paulo] Leia o texto na íntegra 

Bicampeã olímpica nos 800m, Caster Semenya tem seu retorno às pistas condicionado à redução do nível de testosterona no seu sangue através do uso de remédios. A sul-africana tem vivido uma odisseia fora das competições para garantir seu direito de correr. Ela, porém, não é a única. Criado no Brasil, o movimento “Let her run” (“Deixe ela correr”, em tradução livre) nasceu com o objetivo de pressionar a World Athletics, antiga Iaaf, a dar fim a exames considerados abusivos para determinar o sexo de uma atleta. 

[...]

As regras atuais forçam os atletas com transtornos do desenvolvimento sexual (DSD) a tomar medicamentos para reduzir clinicamente sua testosterona natural para menos de cinco nmol/L por um período contínuo de pelo menos seis meses e manter esses níveis continuamente pelo resto de sua carreira atlética. Somente sob essa política as atletas poderão competir em eventos femininos que variam de 400 metros e 1500m. [Globo Esporte] Leia o texto na íntegra 

Os defensores de Semenya argumentam que a atleta foi punida por traços biológicos inatos. Ou seja, ela não teria se beneficiado de medicamentos que melhoram sua performance, o chamado doping.

O pesquisador Kyle Knight, do programa de direitos LGBT da ONG Human Rights Watch, disse que tomar os inibidores de testosterona recomendados pela Federação Internacional de Atletismo seria tão "humilhante quanto clinicamente desnecessário" para atletas do sexo feminino cujos níveis hormonais estão fora dos limites aceitos.

[...]

A Federação Internacional de Atletismo afirma que não é uma questão pessoal contra Semenya. Mas a decisão se restringiu a competições de mulheres justamente nas distâncias em que Semenya se destaca, o que levanta dúvidas se ela não teria sido o alvo.

A entidade insiste que limites "foram determinados para proteger a integridade do esporte - particularmente o esporte feminino".

A chave para esse aspecto do argumento são os níveis de testosterona.

A Federação Internacional de Atletismo diz que as mulheres que têm níveis de testosterona de mais de cinco nanomol por litro de sangue têm uma vantagem significativa no desempenho - e estão acima da população geral de mulheres.

Em outras palavras, elas não seriam representativas das mulheres em geral, e isso prejudica o conceito de esporte feminino, segundo a entidade. [BBC] Leia o texto na íntegra


Redações corrigidas


Título Nota
!!! 800
!!!! 700
" e não sou eu uma mulher?" 750
"Let Her Run" 750
"Let Her Run": uma mulher tem que provar que é realmente mulher? 550
"Let her run": Uma mulher tem que provar que é realmente mulher? 750
"Let Her Run: uma mulher tem que provar que é realmente uma mulher ? 290
### 650
'Let Her Run': uma mulher tem que provar que é realmente mulher?// 850
** 800
*Competições esportivas e o corpo da mulher* 850
. 900
. 800
."Let Her Run". 800
... 550
... 750
...LET HER RUN... 850
0000 700
??? •-• 850
A ameaça da legitimidade da mulher 800
A Dificuldade das Mulheres no Esporte e Trabalho 500
A discriminação de cada dia 750
A ÉTICA COMO PRINCÍPIO PRIMORDIAL 600
A mulher da atualidade 250
A mulher no esporte (e fora dele) merece respeito 900
A pedra no meio do caminho feminino 800
A qualidade natural sendo discriminada 500
A rebeldia de necessidade 600
A sua genética - s 750
AB - Let Her Run - 800
Abusos disfarçados de regras 850
Aceitação do natural 750
Afffsss 750
Anne 850
anny certaa 800
Até quando isso? 900
Brasil mostra a sua cara 800
Caster Semenya: humilhação, exposição e exclusão no meio... 500
Classificação exige classes corretas 800
Comprovação Feminina 650
Conquistando o reconhecimento 800
Correndo contra o preconceito. 850
Crise hormonal no desporte 600
Deixa ela correr - Ela não precisa provar que é mulher! 900
Deixa ela ser mulher 850
Deixe ela correr 700
Deixe Ela Ser 600
Deixe-a correr. 650
Desigualdade no Esporte 800
Dever, respeitar diretrizes. 550
Dignidade feminina 650
Direito da mulher em ser 800
Direito das mulheres, uma discussão social 800
Direitos iguais e dignidade para todas as atletas 800
Direitos iguais para todos (G) 700
Discriminação de gênero 750
DISCRIMINAÇÃO FEMININA 800
Discriminação ou preocupação? 800
É necessário aceitar as limitações femininas 700
Encaminhando-se contra a prova real 700
Garantam o direito de Semenya! 850
Inclusão de LGBT no esporte feminino mundial 470
Indivíduos são particulares 850
Injustiça contra as mulheres 800
INJUSTIÇAS CONTRA O DIFERENTE 650
JXP - A VELHA SUBMISSÂO 800
lados opostos, mesmo problema 900
Let Her Run 850
Let Her Run": uma mulher tem que provar que é realmente mulher? 800
Let Her Run": uma mulher tem que provar que é realmente mulher? 500
Let Her Run## 800
Let her Run? 700
LIBERDADE DE SER 700
Medidas para combater as ações discriminatórias contra atletas do... 850
Movimento Let Her Run 850
Mulher é mulher 750
Mulheres São Todas Bem Vindas 650
Nós por nós. 400
O Direito de TODOS 290
O homem precisa provar que é homem? 650
O Ideal Social 850
O limite da exceção 750
O lugar da mulher em meio a sociedade 800
O preço para ser atleta 850
O que é realmente ser uma mulher? 700
O que é ser mulher? 700
O Real Valor Feminino 850
Os efeitos de ser uma mulher. 850
Os limites às regras da competição. 750
P 800
Padrão social define a mulher 500
Papel da mulher no esporte 750
Pautas sobre ''Let Her Run'' necessita de inclusão. 700
Por quer provar que é realmente mulher 300
Preconceito Coletivo 850
REDAÇÃO 500
Redação 22 - Let her run: uma mulher tem que provar que é... 750
Segregação Hormonal 550
sem título 700
Semenya, merece respeito. 800
Será que Somente Hormônios Nos Definem? 600
Seria a World Athletics realmente preconceituosa? 700
Sociedade machista 300
Sociedade machista 500
TESTOSTERONA ACEITAVEL 700
TRAÇOS BIOLÓGICOS NÃO SÃO ESCOLHA 850
Transtorno de desenvolvimento sexual e preconceito no esporte 700
Uma mulher não tem que provar que é realmente mulher 650
Uma mulher precisa provar ser mulher ? 800
Uma mulher tem que provar que é mulher? 750
Vantagens Naturais,Mas Desiguais 800
´´Let her run``:uma luta feminina no esporte 700
“Padronização do que é ser mulher” 800

BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES