Whatsapp
Em 10/07/2017 09h22 , atualizado em 10/07/2017 09h22

Polícia Civil prende quadrilha que lucrou R$ 5 milhões por fraudar Vestibulares de Medicina

Notícias

Gabaritos foram vendidos para mais de 100 pessoas de 12 estados mais o Distrito Federal. Por Lorraine Vilela Campos
Crédito da Imagem: Brasil Escola
PUBLICIDADE

Cinco integrantes de uma quadrilha que fraudava vestibulares de Medicina em 12 estados mais o Distrito Federal foram presos pela Polícia Civil do Estado de Goiás na última semana, na chamada "Operação Monge".  

A quadrilha era responsável pela venda de gabaritos de vestibulares de Medicina por R$ 80 mil e o ingresso direto nas universidades por R$ 120 mil, sem a necessidade de participar das provas. O pagamento dos gabaritos era feito após a aprovação no vestibular, tendo a fraude movimentado cerca de R$ 5 milhões. 

De acordo com o delegado Breynner Vasconcelos, titular da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco) da Polícia Civil, 110 pessoas utilizaram da fraude para o ingresso nos cursos de Medicina, das quais 52 se matricularam nas instituições, enquanto outras matrículas foram impedidas pela Polícia Civil ao identificar a participação de tais candidatos na fraude. 

Estados de origem dos estudantes que participaram da fraude (Clique para ampliar)

Segundo o delegado da Draco, outros quatro integrantes da quadrilha estão foragidos, sendo dois do Pará, um da Bahia e um do Rio de Janeiro. Os vestibulares fraudados foram das universidades de Rio Verde (UniRV), Católica de Brasília (UCB), José do Rosário Velloso (Unifenas) e das Faculdades Integradas da União Educacional do Planalto Central (Faciplac). 

Universidades e unidades que foram alvos da fraude (Clique para ampliar)

Entenda o caso

Após denúncias vindas da Universidade de Rio Verde (UniRV), de anônimos e de outras fontes, a Polícia Civil passou a investigar os suspeitos de venderem os gabaritos de vestibulares de Medicina por R$ 80 mil. 

Fernando Batista Pereira, um dos suspeitos da fraude, foi flagrado pela Polícia Civil comprando celulares em um camelódromo de Goiânia/GO, os quais seriam utilizados para que os integrantes passassem o gabarito aos estudantes que compraram os gabaritos. 

O integrante da quadrilha foi abordado por uma agente da Polícia Civil que se passou por estudante. Ele passou as instruções básicas, entre as quais estavam o uso de três calcinhas para esconder o celular. Além disso, Fernando alegou ter advogados para caso algum problema acontecesse. 

As investigações contaram com o auxílio das instituições de ensino que suspeitaram da fraude. No vestibular de Medicina da UniRV de Goianésia, a Polícia Civil contou com agentes disfarçados de fiscais para monitorar outro suspeito, Mateus Ovídio Siqueira, o qual era responsável por responder a prova e passar o gabarito para uma pessoa que ficava em uma base da quadrilha. 

Durante o vestibular, a fraude era executada da seguinte forma: Mateus respondia a prova em 30 minutos e pedia para ir ao banheiro. Chegando lá, ele passava pelo celular o gabarito para um integrante da quadrilha, o qual repassava a informação para os vestibulandos. Os concorrentes, por sua vez, se dirigiam até o banheiro e conferiam as respostas no telefone. Os contratantes tinham direito ao gabarito das questões objetivas e ficavam responsáveis apenas por fazer a redação. 

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A investigação levou a Polícia até o empresário Rogério Cardoso de Matos, considerado o chefe da quadrilha. Em sua casa foram apreendidos documentos e um carro de luxo. Já na residência de Mateus, foram encontrados R$ 50 mil, valor que ele teria recebido para passar o gabarito aos candidatos. 

Passo a passo do esquema (Clique para ampliar)

Próximos Passos

Segundo a Polícia Civil, os suspeitos responderão por fraude. O delegado Breynner Vasconcelos ressalta que recomendações para procedimentos de segurança nos vestibulares serão encaminhados às instituições de ensino. 

A UniRV informou que verificará a listagem da Polícia Civil para tomar as medidas necessárias. Estudantes que tenham se beneficiado da fraude e já estejam estudando na instituição serão expulsos, enquanto os aprovados no vestibular que compraram o gabarito terão suas matrículas anuladas. 

Por meio de nota, a UCB divulgou que acompanhará os desdobramentos do caso e que assim que forem apuradas as informações, "se compromete em tomar as providências cabíveis". 

Até o fechamento desta notícia, o Vestibular Brasil Escola não conseguiu contato com a Unifenas e com a Faciplac. 

Outras fraudes

Por sua alta concorrência e dificuldade de ingresso, o curso de Medicina costuma ser alvo de fraudes envolvendo seus vestibulares. A Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-Goiás) suspendeu seu processo seletivo para a graduação em 2016, após suspeita de envolvimento de uma organização criminosa na seleção realizada anteriormente, no fim de 2015. 

Na época, a PUC-Goiás instaurou um processo administrativo interno e denunciou a fraude ao Ministério Público Federal (MPF-GO), além da abertura do inquérito na Polícia Federal. A seleção para Medicina foi retomada para o ingresso em 2017, sendo usada a nota do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). 

O Enem é outro exame que registrou fraudes ao longo dos anos. Em 2009, houve o vazamento das provas e a edição foi adiada. Em outros anos, tentantivas de fraudar a aplição foram encontradas por envio do tema de redação por celular e até o uso de escuta eletrônica. Em 2016, a Polícia Federal deflagrou operações para investigar fraudes e evitar novas ocorrências.

Relacionados
A Medicina é fonte de inspiração para a produção de diversas séries e seriados. Conheça algumas delas!
A Faculdade Albert Einstein já liberou os resultados e boletim de desempenho do seu Vestibular de Inverno 2017 para ingresso no curso de Medicina.
Uma das profissões mais desejadas é a Medicina. Se o seu sonho é ser Médico, confira cinco filmes sobre a profissão.
Especialista aponta qual a melhor maneira de lidar com pais que influenciam na escolha da profissão dos filhos.
O Inep vai anular as notas de 13 participantes do Enem que foram indiciados por fraude em processos seletivos.
Denúncias de fraude no sistema de cotas faz universidades criarem comissões de avaliação da autodeclaração de raça.
Saiba mais sobre o curso de Medicina, as disciplinas oferecidas, o mercado de trabalho e o salário do médico. Curso é bastante concorrido nos vestibulares e SiSU.
Apesar de diferentes, muitos estudantes ainda têm dúvidas se prestam vestibular para Medicina ou Direito. Saiba como se decidir entre os dois cursos.
  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES