Em 02/03/2020 10h29 , atualizado em 02/03/2020 13h14

Estudante supera tumor e é aprovado em 10 faculdades de Medicina

Notícias

Gabriel escolheu a Unifesp para cursar Medicina no estado de São Paulo e continuar próximo à família. Por Giullya Franco
Estudante foi aprovado em 10 faculdades de Medicina (Crédito: Arquivo Pessoal)
Estudante foi aprovado em 10 faculdades de Medicina (Crédito: Arquivo Pessoal)
PUBLICIDADE

A fase de pré-vestibular é, na maioria das vezes, um período desgastante para grande parte dos estudantes. Para aqueles que sonham com a aprovação em um curso concorrido, como Medicina, o processo é ainda mais cansativo e, para o jovem Gabriel de Souza, ele veio acompanhado de outro grande desafio: enfrentar um tumor cerebral.

Aos 23 anos, Gabriel foi aprovado em 10 faculdades para o curso de Medicina. Durante a fase de preparação para os vestibulares, além da intensa rotina de estudos, o jovem se deparou com problemas de saúde da mãe e, posteriormente, descobriu um tumor no cérebro.

Saiba mais: Tumor é câncer?

Natural de Itapetininga, interior de São Paulo, o jovem estava na capital paulista para se dedicar aos estudos. Sem condições financeiras para manter um cursinho, Gabriel procurou o Poliedro, em São Paulo, relatou sua situação e conseguiu uma bolsa integral de estudos.

Doença da mãe

O Ensino Médio havia sido concluído em 2013 e, no ano seguinte, quando o estudante planejava fazer um cursinho, a mãe Valquíria de Souza foi diagnosticada com a Síndrome de Guillain-Barré. Com a rápida evolução da doença que atinge o sistema nervoso, a mãe do estudante perdeu todos os movimentos e acabou ficando totalmente dependente da família. Após oito meses de tratamento envolvendo fisioterapias e medicação, Valquíria recuperou grande parte dos movimentos e, no início de 2015, incentivou o filho a buscar o sonho em São Paulo.

Gabriel acompanhado da mãe Valquíria (Crédito: Arquivo Pessoal)

Gabriel continuou estudando por um tempo em sua cidade e foi aprovado para Medicina em cinco instituições: Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Pontifícia Universidade Católica de São Paulos (PUC-SP) e Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP). Apesar da aprovação em três instituições públicas, o jovem não queria ficar longe da mãe.

“Eu queria ficar próximo da minha família, principalmente depois que minha mãe ficou doente. Era certeza pra mim que eu queria estar perto caso acontecesse alguma coisa e eu não consegui financiamento nas particulares”, relembrou o estudante.

Foi então que, em 2017, o estudante resolveu entrar em contato com o cursinho Poliedro. O pré-vestibular acreditou no potencial do jovem e ofereceu uma bolsa integral de estudos. O sonho de cursar Medicina intensificou durante o período escolar e se tornou uma certeza quando o estudante começou a vivenciar a rotina de hospitais no tratamento da mãe e, depois, como paciente.

“Comecei a gostar de Medicina quando eu entrei no Ensino Médio. Assistia muitos programas médicos e aquilo despertava em mim uma curiosidade muito grande de querer viver aquilo e poder ajudar de alguma forma. Quando passei a viver mesmo do outro lado da Medicina percebi que era aquilo mesmo que eu queria”, afirmou o vestibulando.

Veja também: 6 séries para quem gosta de Medicina


Descoberta do tumor

A preparação no cursinho teve início em 2018. Gabriel estava empolgado com a nova rotina de estudos, já havia se inscrito em alguns processos seletivos, mas na metade do ano começou a se sentir mal e chegou a ser levado ao atendimento de emergência por quatro vezes. Ainda sem saber a causa do problema de saúde, o estudante continuou frequentando as aulas para não perder conteúdo.

“O ano de 2018 foi um dos meus melhores e piores ao mesmo tempo. Estava me dando super bem com as aulas e simulados. Conseguia conciliar até a academia com os estudos, mas próximo às férias de julho eu passei muito mal”, contou.

Estudante com a equipe do hospital durante período de tratamento (Crédito: Arquivo Pessoal)

Em um domingo o estudante acabou sendo internado. Inicialmente os médicos suspeitaram de uma trombose cerebral, mas logo chegou o diagnóstico do neurocirurgião de que Gabriel tinha um tumor cerebral e precisaria de realizar uma cirurgia.

“Isso meio que acabou comigo. Você não espera. Já estava com o ano planejado, pagando algumas inscrições, e saber que eu sou estudante e mexeriam na minha cabeça e no meu cérebro foi arrasador pra mim. Você conviver com um vestibular e uma doença é muito desgastante”, afirmou Gabriel.

Foram duas cirurgias, 50 dias de internação e sessões de radioterapia de outubro até dezembro. A mãe de Gabriel entrou em contato com o cursinho, que assegurou a bolsa do estudante para 2019 e ofereceu suporte de estudos durante o período de tratamento, enviando e-mails e conteúdos de apoio.

“Foi um período muito puxado pra mim. Eu tentava estudar com uma amiga pra não ficar tão de fora e não ter um ano perdido. Queria dar o meu melhor nos vestibulares, fiz algumas provas com a imunidade bem baixa e até mesmo com febre, mas foi brutal pra mim porque meu rendimento acabou caindo e eu achava que aquele seria o ano da aprovação”, disse o jovem.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Aprovação

O estudante teve 80% do tumor removido e, em 2019, voltou ao cursinho com força total para alcançar o sonho de cursar Medicina. A carga horária de estudos era intensa e Gabriel passava praticamente o dia todo estudando, encerrando sua rotina por volta das 20h.

Aprovado, Gabriel escolheu a Unifesp para cursar Medicina
(Crédito: Arquivo Pessoal)

A conquista do estudante veio na saúde e no vestibular. Em fase final de recuperação, Gabriel foi autorizado a reduzir a medicação do tratamento e, nos processos seletivos, o estudante foi aprovado em cinco instituições, sendo quatro delas em São Paulo: Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Universidade Estadual Paulista (Unesp), Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto (Famerp), Faculdade Albert Einstein e Universidade Federal de Minas Gerias (UFMG).

“É tudo tão imprevisível e incerto, mas temos que continuar tentando. O não nós já temos. Hoje, tenho a aprovação de cinco faculdades de Medicina. Como sempre tive vontade de estudar na Unifesp, foi a escolhida”, comemorou o calouro. 

Dicas

Entre as diversas estratégias de Gabriel durante sua preparação para os vestibulares, ele destacou o sucesso alcançado nos resultados como consequência do equilíbrio emocional que alcançou com a ajuda de uma psicóloga.

“Foi fundamental pra mim o preparo emocional. Eu já estava desgastado e com um estado de depressão também. Uma das orientadoras do cursinho me indicou uma psicóloga que fez um pacote muito acessível e me ajudou toda semana durante o ano. Acho que sem isso eu não teria conseguido”, relembrou o estudante.

Saiba mais: Como a psicologia ajuda estudantes no período pré-vestibular e Enem

Veja outras dicas de Gabriel:

  • Assistir as aulas com muita atenção;
  • Ter um plano de estudos;
  • Manter a organização;
  • Se dedicar aos conteúdos que tem dificuldade;
  • Manter momentos de lazer na rotina.

Veja também: Estudante que foi 1º lugar em Medicina na Fuvest 2020 dá dicas de estudo
Saiba mais: Como montar um cronograma de estudos

BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES