Topo
pesquisar
Em 27/07/2018 14h00, atualizado em 27/07/2018 15h06

Brasileiros conquistam medalha de prata em Copa do Mundo de Física

Notícias

Equipe composta por cinco estudantes do ensino médio foi premiada na 31ª International Young Physicists' Tournament (IYPT) Por Lorraine Vilela Campos
Equipe brasileira comemora título conquistado na 31ª edição do torneio de Física
Equipe brasileira comemora título conquistado na 31ª edição do torneio de Física
PUBLICIDADE

Cinco estudantes brasileiros do ensino médio conquistaram medalha de prata na "Copa do Mundo de Física" realizada em Pequim, na China, entre os dias 19 e 26 de julho. A posição conquistada na 31ª International Young Physicists' Tournament (IYPT) é histórica para a delegação que representou o Brasil.

Leia também: brasileiros premiados na Feira de Ciências do Google dão dicas de estudos

A equipe formada por cinco jovens estudantes foi liderada pelo goiano Vinicius de Alcântara Névoa, de 16 anos, aluno do segundo ano do ensino médio do colégio Arena, parceiro do Sistema de Ensino Poliedro. O time conta com primeiros colocados de cada equipe da etapa nacional da IYPT, grupo que se reuniu para a disputa na China. 

Como é a competição?

O International Young Physicists' Tournament (IYPT) é diferente de outras competições escolares. Os participantes de 32 países são desafiados a responder perguntas sobre problemas de Física, em inglês, no que é conhecido como Physics Fights. As equipes fazem revezamentos como relatoras, oponentes e avaliadoras, sendo avaliadas por uma banca. 

Leia também: "Não é preciso ser Nerd para se dar bem em Matemática no Enem", diz professor

O torneio de Física premia seus competidores pela somatória das notas obtidas pelos países. As quatro primeiras posições do ranking ficam com medalha de ouro, enquanto da quinta a oitava a condecoração é de prata. O Brasil ficou em quinto lugar na soma dos pontos, atrás da Coreia, China, Singapura e Alemanha. 

Veja dicas de Física para o Enem

Para o professor Samuel Araújo, diretor e responsável pelo departamento de Olimpíadas Científicas do Colégio Arena, o desempenho dos estudantes brasileiros nesta competição foi fantástico.

"A física que esses jovens conhecem é algo absurdo para a idade deles” - Samuel Araújo - diretor do departamento de Olimpíadas Científicas do Colégio Arena

Importância de Competições Escolares

A participação em competições escolares estimula vários aspectos na vida dos estudantes, indo além da mera reprodução do conteúdo visto em sala de aula. O envolvimento com a iniciação científica, a pesquisa e a resolução de problemas práticos permite que o conhecimento passado pelos professores seja aplicado no cotidiano. Com isso, é possível se preparar também para o Enem e vestibulares participando de torneios científicos.

Veja também: conheça os estudantes brasileiros premiados em feira de Engenharia e Ciências no EUA

O capitão da equipe brasileira medalhista na Copa do Mundo de Física, Vinicius de Alcântara, participa de Olimpíadas Científicas desde criança, o que lhe estimulou o interesse em seguir nas competições escolares. "O interesse pela Física surgiu desde quando eu era pequeno, pois sempre fui muito curioso e queria saber como as coisas funcionavam. Então, por exemplo, queria entender como funcionam coisas do dia a dia mesmo, como o micro-ondas, geladeiras e televisões", destaca. 

Confira: medalhistas em competição internacional de matemática dão dicas de estudos

Representar o Brasil em uma competição mundial eleva as expectativas de qualquer jovem estudante. "Tanto a experiência do convívio com pessoas de vários países, assim como o aprendizado da Física e o desenvolvimento que você tem, a desenvoltura que precisamos ter ao apresentar os problemas durante o torneio. Esta é uma experiência fantástica e muito importante para a vida acadêmica e para o currículo", ressalta Vinicius que sonha em estudar Física em alguma universidade americana

Como estudar?

Os métodos de estudo variam de aluno para aluno. Alguns estudantes necessitam de um planejamento bem definido para evitar distrações na rotina escolar, enquanto outros buscam aproveitar ao máximo o tempo em sala de aula para esclarecer dúvidas e resolver exercícios, deixando um tempo livre para outras atividades extras no contraturno. Saiba como montar seu cronograma aqui.

O goiano Vinicius liderou a equipe brasileira
que conquistou a prata na competição
Crédito: Colégio Arena/Sistema Poliedro

Conheça os estudantes que foram para a competição da NASA

Vinícius diz que não tem um cronograma de estudos definido e busca aproveitar o tempo das aulas para estudar o que acha necessário, focando no que considera mais importante para sua área de interesse. Já para as competições científicas, a preparação é feita por livros específicos, geralmente voltados para o nível superior ou pós-universitário, os quais são recomendados por professores e profissionais da área científica. 

Veja como montar um plano de estudos para o Enem

Como dica para quem se interessa pelas competições escolares, Vinicius ressalta que é importante a dedicação e a disposição em aprender. Além disso, a persistência é fundamental nos estudos, já que os desafios estarão presentes. 

BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola