Whatsapp
Em 02/03/2022 08h08 , atualizado em 03/03/2022 07h55

Atualidades fevereiro 2022 - Enem e Vestibulares

Atualidades

Guerra da Rússia contra a Ucrânia e tragédia causada pelas chuvas em Petrópolis estão entre as notícias do mês. Por Lorraine Vilela Campos
Prédio atingido em Kiev, capital da Ucrânia
Prédio atingido em Kiev, capital da Ucrânia
Crédito da Imagem: Drop Of Light/Shutterstock
PUBLICIDADE

Fevereiro é o menor mês do ano, mas nem por isso o menos agitado. Guerra da Rússia contra a Ucrânia após meses de ameaça, chuvas em Petrópolis/RJ que causaram mais de 230 mortes estão entre os assuntos que foram notícia. 

Acompanhe o Atualidades do Brasil Escola para um resumo do que rolou de mais importante em fevereiro e que pode cair de alguma forma em vestibulares e no Enem. Para ler as notícias e reportagens completas, basta clicar nos links em negrito para ser redirecionado para o UOL, Agência Brasil, Portal Gov.br e outros. 

Mundo

Guerra Rússia X Ucrânia 

Após quatro meses de crises com o ocidente, a Rússia invadiu a Ucrânia no dia 24 de fevereiro. A justificativa de Vladimir Putin para a invasão foi de apoio para as autoproclamadas repúblicas Donetsk e Lugansk, negando ocupar território. Já a Ucrânia, desde o início dos ataques, falou em ampla ocupação territorial, o que corrobora com o discurso ocidental.

Entenda o conflito entre Rússia e Ucrânia

No entanto, a invasão russa não ficou somente nas regiões dos conflitos separatistas e seguiu para a capital Kiev e outras cidades ucranianas com maior população. Em Kiev, um avião foi abatido e caiu sobre um conjunto residencial, uma torre de TV foi bombardeada deixando mortos e feridos, além de bombardeios em diferentes pontos. 

A Ucrânia rompeu oficialmente as relações diplomáticas com a Rússia, fechou seu espaço aéreo e  decretou Lei Marcial. Quando se adota a legislação marcial o território deixa de seguir o regimento civil e passa a adotar as leis militares, alterando o funcionamento de um país. 

Aproveitando a Lei Marcial, o governo ucraniano proibiu que homens de 18 a 60 anos deixem o país. O presidente Volodymyr Zelensky convocou a população para lutar, garantindo armas para os interessados em defender a Ucrânia. As pessoas também foram orientadas a fabricar coquetel Molotov como defesa. 

Segundo especialistas, a invasão russa é a mais grave crise militar na Europa desde a Segunda Guerra Mundial. Filas de carros foram registradas na saída de Kiev, na Ucrânia, já nas primeiras horas da quinta-feira (24), cena que se repetiu nos dias seguintes. Muitas pessoas optaram por fugir a pé para países vizinhos como Romênia e Polônia, mas outras nações também recebem os refugiados dos conflitos. 

De acordo com a agência da Organização das Nações Unidos para Refugiados (Acnur), mais de 660 mil pessoas deixaram a Ucrânia até 1º de março por causa da guerra. A ONU teme que os conflitos gerem a maior onda de refugiados da Europa no século XXI. A estimativa é de que 12 milhões de cidadãos em território ucraniano precisarão de ajuda, enquanto cerca de 4 milhões podem precisar de auxílio nos países vizinhos nos próximos meses. 

Internacionalmente, a Rússia tem sofrido sanções econômicas e políticas por conta da guerra. Os reflexos já podem ser sentidos pela população russa na desvalorização da moeda, impossibilidade de utilização de serviços de pagamento digital ou cartão de crédito. A busca intensa por dinheiro em espécie tem desabastecido os caixas eletrônicos do país. 

A guerra completou uma semana nesta quarta-feira, 2 de março. Durante a madrugada, ataques russos destruíram parcialmente uma estação de polícia em Kharkhiv, segunda maior cidade da Ucrânia. Houve também invasão por paraquedistas russos que tentaram tomar o local. 

Cura do HIV com transplante de células-tronco

Uma paciente com leucemia, residente nos Estados Unidos, se tornou a primeira mulher (e a terceira pessoa) a ser curada do HIV após receber um transplante de células-tronco de um doador naturalmente resistente ao vírus causador da Aids. O caso foi revelado pelos médicos em 15 de fevereiro. 

O caso da paciente foi divulgado na Conferência sobre Retrovírus e Infecções Oportunistas em Denver e também é o primeiro a envolver sangue de cordão umbilical. A nova abordagem pode tornar o tratamento disponível para mais pessoas. 

Brasil

Chuvas causam tragédia em Petrópolis

Petrópolis teve a maior tragédia de sua história causada por chuvas intensas que caíram na cidade em 15 de fevereiro. O desastre superou o número de vítimas das chuvas de 1988 e 2011, chegando a 231 mortos e com cinco pessoas ainda desaparecidas. Com seu nível de chuvas registrado desde 1932, a Defesa Civil reconheceu que a cidade foi atingida pela maior tempestade de todos os tempos e, em três horas, choveu mais que o previsto para todo o mês de fevereiro.

As chuvas intensas causaram deslizamentos em morros e encostas, quedas de casas, sobrados e pequenos prédios, além de abalar a estrutura de outros maiores; pessoas morreram soterradas em suas próprias residências ou em seus carros, enquanto outras foram arrastadas para fora dos imóveis pela força da água. 

A enxurrada foi tão forte que arrastou diversos veículos e deixando-os sem rumo, mas a imagem mais impactante veiculada foi a de dois ônibus do transporte coletivo, repleto de passageiros, que foi levado pela água e acabou afundando. Algumas pessoas foram resgatadas de forma improvisada, mas a enxurrada foi mais forte e levou os veículos para dentro do rio que corta a cidade, o que resultou na morte de vários ocupantes. 

=> Histórico de tragédias por temporais

Em 1988, Petrópolis também foi atingida por um temporal. A tragédia, até então a pior registrada no município, teve 134 mortos. 

Já em 2011, a cidade registrou 73 vítimas fatais, mas somando com as demais localidades da região serrana do Rio de Janeiro, o número final foi de 918 óbitos, o que deu ao episódio o título de maior catástrofe climática do país, segundo o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPETC).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

=> Reconstrução

O governo estadual do Rio de Janeiro autorizou obras emergenciais em cinco áreas prioritárias em Petrópolis: rua Teresa (polo de comércio da cidade, com foco no mercado têxtil); rodovia Washington Luiz; praça Conde D'eu e rua 24 de maio. Haverá, ainda, recuperação do Túnel Extravasor do Palatinado, que teve sua galeria rompida e gerou a interdição parcial de algumas vias.

A crítica de especialistas em climatologia e de outros setores é a falta de ação do poder público para a garantia de moradias sociais dignas, em regiões seguras, para evitar o grande número de mortes. Petrópolis abriga em seus morros moradores que não têm condições de morar em outras áreas, o que foi intensificado pelo crescimento populacional. 

Buscas no Morro da Oficina continuam dias após a tragédia
Crédito da foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Homem negro morre após ser confundido com bandido

Pouco mais de uma semana após a morte do congolês Moïse Kabagambe, espancado até a morte em um quiosque na Barra da Tijuca, o Rio de Janeiro foi palco de mais um assassinato a um homem negro. Durval Teófilo Filho, de 38 anos, foi morto por seu vizinho, o sargento da Marinha Aurélio Alves Bezerra, que alegou ter confundido a vítima com um bandido

Aurélio foi preso em flagrante ao levar a vítima ao hospital. Aos policiais, o sargento da Marinha disse que estava em frente à sua casa quando viu um homem se aproximando muito rápido e então deu três tiros em Durval. O indiciamento da Polícia Civil tratou o caso como homicídio culposo, ou seja, quando considera-se que o autor do crime não teve a intenção de matar. Após pedido do Ministério Público (MP), a Justiça alterou a tipificação do crime para doloso, considerando que houve sim intenção em matar a vítima ao efetuar os disparos. 

Novo documento de identidade no Brasil

Em 23 de fevereiro, o governo federal anunciou um novo modelo de carteira de identidade que unificará o documento em todas as unidades de federação (estados e Distrito Federal) por meio do número do CPF. 

Os institutos de identificação terão até março de 2023 para que possam se tornar aptos a confeccionar o novo modelo de documento de identidade. O atual RG valerá por ainda por 10 anos para quem tem até 60 anos de idade, passando a ter prazo de validade indeterminado após tal faixa etária.

A emissão do novo documento será gratuita. De acordo com o governo, o objetivo é facilitar a vida da população e coibir fraudes. A identidade terá apenas um número, o do CPF, além de um QR code que permitirá a verificação da autenticidade.

Consulta pública sobre privatização dos Correios

O governo federal abriu no dia 25 de fevereiro a consulta pública sobre a privatização dos Correios. Pesquisa ficará disponível por 45 dias e uma audiência pública está marcada para 24 de março, mas o edital de venda só poderá ser publicado se o projeto de privatização for aprovado pelo Senado, sem mudanças. 

A consulta e audiência pública são partes obrigatórias para processos de privatização. Elas antecedem a análise do Tribunal de Contas da União (TCU). O projeto para privatizar os Correios foi aprovado pela Câmara em agosto de 2021, mas até o momento não seguiu no Senado, apesar de ser prioridade para o Governo. 

Saiba tudo sobre a privatização dos Correios

O projeto de Lei autoriza a venda da estatal, determina que a nova empresa se chame Correios do Brasil e altera a função da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), órgão que passará a se chamar Agência Nacional de Telecomunicações e Serviços Postais. Entre suas responsabilidades, a nova agência terá que regular os serviços postais.

Covid-19

Anvisa aprova autotestes 

A aprovação dos autotestes para detecção de Covid-19 começou em 17 de fevereiro, com a autorização para o primeiro fabricante. No dia 23 seguinte, outra empresa obteve o aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Já em 24 de fevereiro, a Anvisa aprovou mais dois novos autotestes, aprovação que trouxe o primeiro que pode ser realizado por meio da saliva

Os autotestes são avaliados em critérios como segurança, usabilidade, desempenho e atendimento aos requisitos legais. O objetivo da venda para o consumidor comum é permitir uma triagem para evitar a superlotação em unidades de saúde. 

Anvisa aprova remédio para prevenir a Covid-19

A Anvisa anunciou em 24 de fevereiro a aprovação do uso emergencial do medicamento Evusheld®️ (cilgavimabe + tixagevimabe) como medida de profilaxia (prevenção) da Covid-19. A agência ressalta que a liberação do medicamento não substitui a vacina. 

A medicação é voltada para profilaxia antes da exposição à Covid-19, adultos e crianças (com 12 anos ou mais, pesando pelo menos 40 kg), que não tenham sido expostos ao coronavírus recentemente e que possuam comprometimento imunológico moderado a grave devido a uma condição médica e/ou ao recebimento de medicamentos ou tratamentos imunossupressores e que possam não apresentar uma resposta imunológica adequada à vacinação contra a Covid-19. 

O medicamento não será utilizado para o tratamento de infectados com a Covid-19 ou em profilaxia pós-Covid. A medicação é composta por dois fracos, para aplicação intramuscular.

Artigos Relacionados
Novos desdobramentos da guerra entre Rússia e Ucrânia e o fim da emergência sanitária da Covid-19 no Brasil são destaques do mês de abril.
Saiba o que aconteceu de importante no mês de maio. Entre os destaques, as fortes chuvas no estado de Pernambuco e o atentado a escola primária no Texas (EUA).
Queda de avião na China, desdobramentos da Guerra da Rússia contra a Ucrânia e queda do quarto ministro do MEC são destaques do mês de março
Passamos dos 500 mil mortos pela Covid-19, vidas perdidas diante do negacionismo do governo e da propagação de Fake News. O que fazer para vencer a pandemia?
Conheça algumas características dos protestos na Ucrânia e seus possíveis desdobramentos.
O Blog aborda a importância da vacinação de crianças entre 5 e 11 anos para uma volta às aulas presenciais com mais segurança.
Saiba mais sobre o desastre ambiental em Mariana (MG) causado pelos rejeitos de mineração da Samarco.
Em meio a destruição de cidades e mortes de soldados e civis, uma outra preocupação surge com a permanência da guerra: os impactos ambientais.
  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES