Whatsapp
Em 20/02/2020 07h34 , atualizado em 20/02/2020 07h34

Medalhistas em Olimpíada de Matemática na China dão dicas de estudo

Notícias

Estudantes dos ensinos fundamental e médio trouxeram 11 medalhas para o Brasil no ano passado Por Lorraine Vilela Campos
Estudantes brasileiros foram medalhistas na 10ª World Mathematics Team Championship
Estudantes brasileiros foram medalhistas na 10ª World Mathematics Team Championship
PUBLICIDADE

A Matemática é uma área do conhecimento temida por muitos estudantes, mas há aqueles que gostam dos desafios da disciplina e buscam sempre novas possibilidades. Este é o caso dos estudantes Adrieny Monteiro dos Santos Teixeira, 15 anos, e João Matheus Nascimento Gonçalves, de 17 anos, que conquistaram medalhas de ouro e prata, respectivamente, na 10ª World Mathematics Team Championship, em 2019.

Veja também: Olimpíadas escolares ajudam no Enem e vestibulares

As Olimpíadas Escolares são importantes para o aprendizado dos conteúdos e também para o desenvolvimento pessoal e profissional dos estudantes. Disponíveis nas mais diferentes áreas do conhecimento, as competições têm sido utilizadas por grandes instituições como Universidade de São Paulo (USP), Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e Universidade Estadual Paulista (Unesp) para o ingresso de alunos. 

“As olimpíadas em geral testam nosso conhecimento e nos desafiam, isso é importante para o nosso crescimento escolar e pessoal”, Adrieny – ouro na 10ª World Mathematics Team Championship. 

Existem várias oportunidades de olimpíadas escolares e científicas para estudantes brasileiros. Se seu interesse é a Matemática, João Matheus destaca a possibilidade de ingresso nas competições pela Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP), cujas inscrições estão abertas.

Leia também: Inscrições da Olimpíada de Matemática (Obmep) 2020 estão abertas

Outros campeonatos escolares que ajudaram o estudante na preparação para a World Mathematics Team Championship foram a Olimpíada de Matemática dos Institutos Federais (Omif), além da Matemática Sem Fronteiras, olimpíada que habilitou os brasileiros medalhistas a irem para a China. 

Preparação

Busca por desafios, gosto pela matemática e dedicação fizeram com que Adrieny se destacasse antes mesmo da competição, já que a adolescente foi escolhida para participar da modalidade do ensino médio enquanto ainda estava no 9º ano do ensino fundamental. A estudante superou competidores de séries mais avançadas e conquistou o ouro. 

Adrieny superou estudantes de séries mais avançadas e conquistou o ouro
Crédito: arquivo pessoal

Foco e organização foram fundamentais para João Matheus, pois a prata veio após um ano dividido entre a preparação para a competição e os estudos para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e vestibulares

Estudantes de uma escola pública federal, o Colégio Pedro II, a equipe se deparou com a incerteza de conseguir a verba suficiente para a viagem à China e, por isso, os alunos não tiveram muito tempo para a preparação. Os participantes tiveram que encontrar seus métodos de estudos conforme a realidade de cada um, já que a competição contou com alunos de diferentes séries escolares. 

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Leia também: Brasil conquista ouro em olimpíadas de Economia

“Cada aluno teve um tipo de preparação e fez sua rotina de estudos. Eu, por exemplo, participei da Olimpíada de Matemática dos Institutos Federais (Omif), o que me ajudou muito na Olimpíada na China”, destaca João Matheus. Também com histórico de participações em competições escolares, Adrieny recorreu às videoaulas de matemática para a preparação. 

Medalha de prata, João Matheus enfrentou a competição em ano de Enem e vestibulares
Crédito: arquivo pessoal

Além dos planos de estudos de cada um, Adrieny e João Matheus tiveram aulas com professores de Matemática e Inglês do Colégio Pedro II e resolveram as provas anteriores da World Mathematics Team Championship

Dicas de estudo

Muitas pessoas têm dificuldades em Matemática ou apresentam alguma resistência à disciplina. Os medalhistas brasileiros dão dicas para superar os obstáculos nos conteúdos da área. Confira!

    • Tente enxergar a matemática como algo presente no cotidiano. “Matemática não é um bicho de sete cabeças, como eu achava no passado. Com treino, esforço e dedicação, ela vai se tornando mais fácil e prazerosa”, opina Adrieny. 
      
    • Não fique com o pé atrás: aprofunde nos conteúdos, veja quais as suas dificuldades e busque ajuda se for preciso. “Corra atrás dos objetivos, aproveite as oportunidades quando aparecerem”, destaca João Matheus. 
      
    • Participe de olimpíadas escolares: “Uma dica que dou para quem tem dificuldade em Matemática é participar das olimpíadas. Porque quando estamos nos submetendo a esses desafios, estamos agregando conhecimento, o que é muito importante para a nossa formação acadêmica”, ressalta Adrieny. “As provas de olimpíadas são feitas para serem desafiadoras, mas não precisa ter medo” - ressalta João Matheus, que complementa - "esses tipos de olimpíadas, não só de Matemática, são muito importantes para desenvolvimento pessoal, intelectual e cultural.

Relacionados
Confira 10 cursos de graduação perfeitos para estudantes que gostam de matemática e querem exercê-la na profissão. 
O estudante Eduardo Henrique de Toledo ficou em primeiro lugar na classificação geral da Olimpíada Latino-Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA) 2020.
Com duas medalhas de ouro e duas de prata, cinco estudantes brasileiros trouxeram para o país o prêmio de 3ª melhor equipe mundial conquistado na Olimpíada Internacional de Economia (IEO – International Economics Olympiad), realizada em Moscou/Rússia, de 14 a 22 de setembro. 
Saiba como participar de Olimpíadas Científicas ou Escolares. Descubra como participar das olimpíadas de Matemática, História, Geografia, Astronomia, Biologia, Física, Química e Língua Portuguesa no Brasil. Como se inscrever, como são as provas e muito mais.
Conheça a trajetória de Nattane Luíza da Costa, de 24 anos, a doutora mais jovem do Brasil. Ela deu dicas para quem também quer seguir a carreira.
Mestranda da PUC-Rio criou projeto Matemática para Garotas ao perceber pouca presença de meninas nas olimpíadas escolares de matemática.
As inscrições da Olimpíada Brasileira de Robótica 2020 estão abertas até 10 de maio. A inscrição é gratuita e podem participar da competição os alunos de 7 a 19 anos.
Saiba como o vencedor da Olimpíada Internacional de Matemática (IMO) 2018 usou a internet para estudar para a competição. Medalha de ouro para o Brasil, Pedro Lucas Sponchiado, de 17 anos, complementou o conteúdo visto em sala de aula com material disponível online.
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES