Topo
pesquisar
Em 18/05/2016 15h10, atualizado em 19/05/2016 14h28

Brasileiros explicam como usar o Enem para estudar em Portugal

Notícias

Estudantes dão dicas para quem pretende conseguir uma vaga em universidades portuguesas Por Lorraine Vilela Campos e Silvia Tancredi
PUBLICIDADE

Muitos brasileiros sonham em estudar no exterior, seja pela experiência de morar fora, obter diploma em universidades de renome ou, simplesmente, para conhecer novas culturas. Esse sonho parece inatingível para a maioria, mas, desde 2014, alguns estudantes estão usando a nota do Enem para estudar em Portugal.

O Exame Nacional do Ensino Médio é a forma de ingresso de brasileiros em 15 instituições portuguesas, entre as quais estão as universidades de Coimbra (UC), Algarve (UAlg) e Porto (UP). Essas instituições selecionam os estudantes brasileiros pelas notas do Enem e, geralmente, as médias exigidas em Portugal não costumam ser superiores às encontradas no Sistema de Seleção Unificada (SiSU), o que torna o sonho mais acessível.

O Brasil Escola ouviu quatro estudantes brasileiros que entraram em universidades portuguesas com as notas do Enem. Os jovens contam um pouco sobre a vida no exterior e quais os procedimentos necessários para estudar em Portugal. 

Inscrição e seleção

As universidades portuguesas recebem as inscrições, também conhecidas como candidaturas, exclusivamente pelas suas páginas na internet. Os estudantes podem se candidatar em várias instituições ao mesmo tempo, como foi o caso de Thayna Linhares, de 19 anos, que tentou ingressar na Universidade de Coimbra e na Universidade Beira Interior (UBI). A estudante carioca acabou sendo aprovada para o curso de Cinema da UBI, localizada em Covilhã, cidade na região central de Portugal. 

O modo de convocação das instituições pode variar. Normalmente, o estudante é avisado por e-mail ou telefone. A partir do momento do contato é preciso providenciar a documentação necessária, observando sempre o prazo estabelecido para que a vaga não seja perdida. 

O estudante também não precisa ir até Portugal antes do início as aulas, pois os procedimentos adotados pelas instituições são todos on-line. 

Desempenho no Enem

Uma dúvida comum entre os estudantes que pretendem estudar em Portugal está relacionada à nota necessária para o ingresso. "Fiz a inscrição um pouco sem esperança, porque para Jornalismo eram apenas cinco vagas, mas acabei passando", conta a pernambucana Rebeca Ávila, de 20 anos, estudante da Universidade de Coimbra. A pontuação varia conforme a graduação e o método adotado pela instituição. 

Saiba como calcular a média no Enem

Rebeca Ávila faz Jornalismo na Universidade de Coimbra

As universidades de Coimbra e Beira Interior pedem aos estudantes que somem as notas das quatro áreas do conhecimento com a redação e dividam o resultado por cinco, cuja média é conhecida como nota global do Enem. Depois, o aluno precisa acessar os sites das instituições e conferir a base de cálculo para cada curso, levando em consideração quais provas possuem maior importância (o que é chamado de peso). 

Em Coimbra, Rebeca foi aprovada para o curso de Jornalismo e Comunicação com uma média de 727,8. Na mesma universidade, a paraense Isa Bendahan, de 18 anos, conseguiu entrar em Direito com uma média de 693 pontos. 

A Universidade do Algarve exige a nota mínima de 500 na redação e 475 em cada uma das quatro provas objetivas do Enem. O gaúcho André Ries, de 24 anos, ingressou no curso de Gestão dessa universidade, com 716,88 pontos de média. 

Muitos estudantes buscam universidades do exterior para ingresso em Medicina. No entanto, a legislação portuguesa não permite que estrangeiros entrem em tal graduação sem fazer o vestibular tradicional, por isso, o curso não é oferecido na seleção pelo Enem. 

Passei! E agora?

A carioca Thayna Linhares possui um canal de vídeos no qual conta sua rotina em Portugal. Um dos vídeos orienta os estudantes quanto à documentação que deve ser apresentada na faculdade:

A lista de documentos exigidos varia de acordo com a instituição portuguesa, mas, no geral, é necessário providenciar:

-Cópia da identidade e do passaporte;
-Declaração de conclusão do ensino médio;
-Notas do Enem;
-Seguro saúde;
-Vacina antitetânica.

Visto de residência

Outra providência a ser tomada para estudar em Portugal é tirar o visto temporário de residência na embaixada portuguesa em Brasília (DF) ou no consultado mais próximo. (Saiba mais). “O documento tem validade de 120 dias. No caso da Universidade Coimbra, após esse prazo é necessário solicitar a carteira de residência que tem validade de um ano e depois pedir a renovação”, explica Isa. 

Thayna avisa que é preciso ter moradia definida para conseguir tirar o visto de residência. “No meu caso, assim que cheguei, achei melhor morar um tempo na residência estudantil, para conhecer pessoas. Com o tempo, decidi dividir um apartamento com meus amigos por ser mais confortável”. Além disso, o aluno deve comprovar ter condições financeiras para morar em Portugal. Veja mais

Diploma

Uma dica de Rebeca para os jovens com interesse em estudar em Portugal com as notas do Enem é se informar sobre o processo para equivalência do diploma do curso no Brasil. “Ainda que muita gente venha estudar fora não tenha intenção de regressar ao país, acho que é sempre bom ter essa informação como garantia”, aconselha. Saiba mais sobre a revalidação de diplomas.

Quanto custa?

Quem pretende estudar em Portugal precisa fazer um planejamento financeiro para não passar apertos. Além dos custos com a mensalidade da universidade, chamada de propina pelos portugueses, é importante ter noção de quanto vai gastar com moradia, alimentação e lazer. Em alguns casos, a universidade cobra até pela inscrição no processo seletivo.

Ao se preparar para a ida, é importante que o estudante acompanhe a cotação do euro e faça a conversão do valor da mensalidade, por exemplo, para ter mais noção de quanto terá que gastar por mês. Normalmente, o valor da anuidade pode ser dividido em até oito vezes. 

As universidades públicas portuguesas são pagas e não oferecem bolsas integrais. Além disso, estrangeiros pagam propinas mais altas que os estudantes portugueses. A Universidade de Coimbra, por exemplo, cobra 7 mil euros por ano para brasileiros. A anuidade em Algarve varia entre 2 mil e 3,5 mil euros, possibilitando aos melhores colocados um desconto de 1,1 mil euros. Já a Universidade da Beira Interior possui cursos de 5 mil euros ao ano. 

O gasto total também vai depender da rotina do estudante. "Estando aqui, vejo que o custo varia muito de acordo com o estilo de vida que cada um leva", ressalta Rebeca. A estudante mora com três amigas brasileiras em um apartamento alugado, o que diminui o valor da moradia. A prática é bem comum nos municípios universitários, mas outras opções também cabem no bolso dos estudantes. "Em Coimbra, por exemplo, há quartos entre 100 e 250 euros (nas repúblicas, que são patrimônios importantes da cidade), além dos flats privados, que passam dos 400 euros", completa. 

As grandes universidades oferecem alojamentos (dormitórios) a preços mais baixos para seus alunos, opção que é adotada por diversos estrangeiros até se estabelecerem. O gaúcho André  conhece a rotina de morar na própria instituição. "Atualmente, gasto de 450 a 500 euros por mês. De gasto fixo tem a mensalidade de 200 euros do curso, mais 120 de residência e uns 15 do plano do celular", afirma.

Vida Acadêmica 

Em Portugal, o ano letivo começa em setembro e encerra em junho. As candidaturas para estudantes brasileiros são recebidas em diferentes meses, variando conforme a instituição de ensino. 

Em relação à titularidade dos cursos de Portugal, as graduações são sempre de licenciatura, inclusive as que no Brasil seriam conhecidas como bacharelado. “Há também possibilidade de possuir um Menor, que é uma especialização em algum outro curso. Isso não é novo, no sistema de ensino dos Estados Unidos é bem comum, mas ainda é algo que eu infelizmente não vejo no Brasil”, destaca Rebeca. 

Outra possibilidade que muitos estudantes aproveitam é o mestrado integrado. Essa modalidade permite ao aluno fazer graduação e mestrado em até cinco anos, tempo inferior ao praticado no Brasil. 

Grandes universidades investem bastante em espaços para atividades extracurriculares, o que possibilita ao estudante colocar em prática as atividades acadêmicas e também a socialização. “O que eu noto de diferente é que aqui eles incentivam o aluno a ser independente e a estudar fora do horário de aula”, ressalta André. 

A Associação Acadêmica de Coimbra é um dos órgãos à disposição dos alunos para atividades extracurriculares. “Na AAC existem grupos de teatro, o Centro de Estudos Cinematográficos, clube de xadrez, de gastronomia, yoga, além das instalações de rádio, TV e jornal. Os serviços são abertos e boa parte deles é gratuita, o que é realmente fantástico”, afirma a pernambucana Rebeca. 

Recepção

Estudar no exterior pode gerar alguns receios. Entre os principais está a recepção por parte dos estudantes locais. As universidades que recebem alunos de outros países costumam ter departamentos específicos de apoio aos novos integrantes, tendo como objetivo facilitar a inserção acadêmica dessas pessoas. 

Em universidades maiores, como Coimbra e Algarve, o número de estudantes estrangeiros é grande, o que já diminui o possível choque cultural entre os acadêmicos. A UAlg, localizada em Faro, conta com mais de cem diferentes nacionalidades.

Uma forma de integração acadêmica é o chamado trote, o qual é conhecido como “praxe” em Portugal. Os ritos podem mudar conforme a universidade, mas algumas características são comuns a todas, como é o caso dos desfiles pelas cidades, conhecidos como cortejos. No entanto, alguns participantes relatam nas redes sociais trotes mais agressivos, que resultam em agressões e estudantes em coma alcoólico.

Em Coimbra, os eventos da praxe duram todo o ano letivo e são considerados como uma forma de iniciação do estudante. A participação não é obrigatória, mas muitos alunos fazem parte com o objetivo de se enturmar com os demais. 

Isa Bendahan e sua madrinha da praxe na queima das fitas

A primeira parte da praxe é composta pela “latada”, festa acadêmica que conta com desfiles, cujo vestuário tem como objetivo satirizar algum aspecto da sociedade. Nesta ocasião, os novos alunos, conhecidos como “caloiros”, passam por uma espécie de batismo e recebem um apelido.

A segunda etapa é realizada em maio, já no segundo semestre letivo, a qual é conhecida como “queima das fitas”. “A cidade para e gira em torno da queima. São dias de shows, convívios e há outro cortejo”, ressalta Isa. Na ocasião, os “caloiros” viram “doutores” e podem usar o chamado traje acadêmico, vestimenta não obrigatória e semelhante ao uniforme utilizado em Harry Potter. 

Universidades

O acordo com o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) contempla 14 instituições portuguesas, sendo elas as universidades de Coimbra, Algarve, Aveiro, Lisboa, Porto, Madeira e os institutos politécnicos da Guarda, Portalegre, Porto, Leira, Beja, Cávado e Ave (também conhecido como Barcelos) e Coimbra. A Universidade Beira Interior (UBI) não possui convênio oficial, mas também utiliza o Enem como porta de entrada para brasileiros.

Estudantes com ambição de estudar em Portugal podem morar em Aveiro, Beja, Barcelos, Coimbra, Covilhã, Faro, Guarda, Ilha da Madeira, Leira, Lisboa, Portalegre ou Porto – municípios onde estão situados os institutos de ensino que oferecem ingresso por meio do Enem. 

Conheça mais a fundo as três cidades onde os quatro personagens moram. 

Coimbra

Coimbra, situada na região central de Portugal, é uma cidade banhada pelo rio Mondengo e famosa por abrigar a Universidade de Coimbra. “Boa parte da tradição conimbricense é sustentada pela figura do estudante da instituição, aquele que usa o traje, o famoso uniforme com capa preta estilo Harry Potter que todo mundo tanto fala”, destaca a pernambucana Rebeca.

Estudante caminha pela Universidade de Coimbra com seu uniforme
Estudante caminha pela Universidade de Coimbra com seu uniforme "Harry Potter"

Morar no município possibilita, segundo a estudante, ter uma vida agradável, confortável e segura por um custo aceitável. Ela comenta ainda sobre a intensa oferta de opções culturais gratuitas em Coimbra. “Muitas delas são incentivadas pela própria universidade, e acho isso fantástico por promover a acessibilidade cultural a diferentes níveis”.

Quem pretende estudar em Coimbra deve se preparar para enfrentar um inverno que varia entre 15o C e 5o C. Já o verão pode chegar a 40o C ou até ultrapassá-lo. Nos dias de sol, a paraense Isa conta que alguns moradores aproveitam para realizar atividades no Rio Mondengo. Sobre a vida noturna, a estudante comenta que os bares e as festas são mais cheios nas terças e nas quintas-feiras.

Faro

Região composta por locais históricos emoldurados por belezas naturais e culturais, o Algarve é referência no turismo português. "Escolhi o Algarve por ter um custo de vida e acadêmico mais baixo e também por ser uma região com muitas praias e clima mais parecido com o Brasil", explica André Ries.

Praia em Quarteira, freguesia portuguesa de Algarve
Praia em Quarteira, freguesia portuguesa de Algarve / Crédito: André Ries

O município mais conhecido do Algarve é Faro, onde está localizada a Universidade do Algarve (UAlg). “Gosto muito da cidade. Ela é pequena, então consigo fazer praticamente tudo sem precisar de transporte. A principal diferença é a segurança. Não há preço que pague isso”, analisa o estudante.

O gaúcho comenta que, por ser uma cidade universitária, em Faro há bastantes festas, inclusive durante a semana. Como outra ideia de diversão, ele diz que gosta de aproveitar o pôr-do-sol na marina da cidade, quase sempre acompanhado do chimarrão. 

André mudou-se para Portugal em 2015. Desde então, mantém o blog Vivendo em Faro, criado para ajudar estudantes brasileiros que querem morar no país europeu. No site, ele dá dicas sobre custo de vida, programas culturais e rotina acadêmica. 

Covilhã

Covilhã é considerada uma “cidade de montanha”, pois situa-se em uma região de serras e montanhas, chamada de Serra da Estrela. “Em relação ao clima, você tem que estar preparado. Quando eu vou para a faculdade, levo desde gorro e cachecol, caso esfrie, até uma camiseta para trocar, caso esquente demais”, avisa Thayna, que mora em Portugal desde 2015.

Castelos medievais estão localizados próximos à cidade de Covilhã
Castelos medievais estão localizados próximos à cidade de Covilhã

A estudante carioca conta que Covilhã é uma cidade que convive com o antigo e o novo, tanto na arquitetura quanto na população. “Durante o período de aulas, a cidade fica cheia de jovens. Há muitas festas. Já na época de férias ou quando há um feriado, ela esvazia, ficando apenas com a população original, que é mais idosa”, detalha.

No seu canal do Youtube, a estudante de Cinema aproveita para pôr na prática o que aprende na UBI. Além disso, ela conta que sua rotina é tranquila, mas, ao mesmo tempo, animada. Sempre  encontra os amigos e sai para cafés e bares. 

Diferenças no Idioma

Um dos motivos que atrai brasileiros para Portugal é a proximidade linguística. No entanto, André chama a atenção para uma possível dificuldade de compreensão inicial. "Não vem achando que por ser o mesmo idioma terá facilidade. O sotaque e diversas palavras são diferentes. É necessário pelo menos um mês para entender mais facilmente as pessoas", alerta. 

Imagine a seguinte cena. Você está com muita fome e, com pressa, não olha no cardápio do estabelecimento, optando por pedir um sanduíche. Já parou para pensar como os portugueses chamam tal comida? Não?! O nosso popular sanduíche é conhecido em terras portuguesas como "sandes". E para beber, vai um sumo? Se a sua preferência é por suco, então a resposta é sim, já que a bebida é chamada dessa forma.

O Brasil Escola apresenta abaixo algumas expressões e nomes mais comuns. Acompanhe!

Portugal Brasil Portugal Brasil
Gajo Rapaz/Garoto Cueca Calcinha
Puto Menino/Criança Peúgas Meias
Telemóvel Celular Chávena Xícara
Fixe Legal Sebenta Apostila
Autocarro Ônibus Peão Pedestre
Bué Muito Hospedeira de bordo Aeromoça
Rebuçado Bala Gelado Sorvete
Montra Vitrine Guarda-redes Goleiro

 

Recomendações

Se você se interessou pela vida acadêmica em Portugal e pretende se aventurar no exterior, alguns cuidados são necessários. "Aconselho primeiramente que faça uma boa pesquisa sobre o curso desejado, para que tenha uma ideia sobre como ele é. Depois, é muito importante fazer um bom planejamento financeiro, tendo em vista que são custos que durarão de 3 a 5 anos, sendo um valor alto", ressalta Rebeca Ávila. A estudante destaca o fato de muitos alunos desistirem devido aos custos que não se encaixam na realidade econômica deles. 

Conviver com novas culturas é algo que enriquece o currículo de qualquer pessoa. "Aconselho que venha, seja pra fazer a graduação, mestrado ou doutorado. A experiência internacional acrescenta demais para a pessoa, tanto pessoal quanto profissionalmente", opina André Ries. A troca de saberes é algo presente no cotidiano de cidades com diferentes nacionalidades. O gaúcho destaca a possibilidade de aprender mais facilmente idiomas como Francês, Espanhol e Inglês devido à presença de outros estrangeiros que fazem intercâmbio. 

Ser receptivo é importante para a adaptação e um melhor proveito da experiência. Isa Bendahan aconselha quem deseja estudar fora à ir de mente aberta e com disposição para aprender. "Ser organizado e ter força de vontade é fundamental para um estudante aqui", complementa. 

BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Enem Brasil Escola