Whatsapp
Em 27/09/2019 14h47 , atualizado em 27/09/2019 15h07

5 razões para estudar em Portugal - além do português!

Estudar no Exterior

Idioma em comum é apenas uma das inúmeras razões para estudar em Portugal. Por Hotcourses Brasil
Brasileiros são os principais estrangeiros que estudam em Portugal
Brasileiros são os principais estrangeiros que estudam em Portugal
Crédito da Imagem: HotCourses Brasil
PUBLICIDADE

Tudo bem, poder aprender em português provavelmente será a sua razão principal para estudar em Portugal. É, com certeza, uma preocupação a menos, sem contar a economia com provas de proficiência na língua inglesa ou em outro idioma estrangeiro. No entanto, a verdade é que Portugal tem muito mais a oferecer a quem decide estudar na Europa – especialmente a brasileiros.

Aqui vão cinco das inúmeras razões para estudar em Portugal:

1. Diversidade de opções

Portugal tem instituições de ensino qualificadas tanto públicas quando privadas. Elas estão reunidas em associações com sites informativos, onde você encontra tudo o que precisa saber para decidir-se pelo seu curso acadêmico português: Portugal Polytechnicis e Apesp, por exemplo.

Os institutos politécnicos apesar de serem instituições de ensino superior, têm um foco mais prático e voltado a profissões, com ofertas de graduações, pós-graduações e mestrados. Mesmo com a ênfase prática, há a possibilidade de fazer módulos de trabalhos de investigação e iniciação científica nas graduações. 

Em Portugal, o ensino público é pago, portanto, os institutos politécnicos cobram valores de anuidade dos estudantes, mas que costumam ser bem mais baixos do que as universidades privadas, tanto as portuguesas quanto as brasileiras.

A APESP, por outro lado, é a Associação Portuguesa de Ensino Superior Privado, formada por instituições não estatais que também oferecem graduações, mestrados integrados, pós-graduações e doutorados. 

Embora privadas, estas universidades e institutos de Portugal não diferenciam as taxas de ensino de nativos e estrangeiros, algo que acontece na maioria dos países europeus – estudantes não europeus rotineiramente pagam mais caro. A média também é mais barata do que a de universidades privadas do Brasil.

2. Facilidades para os brasileiros

Os candidatos que tiverem frequentado o ensino médio em língua portuguesa ou que sejam cidadãos de países onde o português é a língua oficial não precisam prestar uma prova de proficiência. Geralmente, basta declarar por escrito que possuem um domínio independente do idioma.

No entanto, não é só isso que atrai os estudantes brasileiros: a grande maioria das instituições de ensino superior de Portugal – mais de 30, tanto públicas quanto privadas – aceita a nota do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) como parte da admissão em graduações e mestrados integrados (1º ciclo). 

Saiba como usar o Enem para estudar em Portugal

Cada politécnico e universidade tem regras diferentes; o Politécnico de Lisboa, por exemplo, exige uma nota mínima de 500 na redação e de 475 nas demais seções da prova.

Além disso, algumas universidades portuguesas facilitam descontos nas taxas de ensino para brasileiros, como é o caso da Universidade do Porto. A média de valores para estudantes internacionais matriculados em licenciaturas e mestrados integrados é de € 3.000 a € 8.000 por ano, dependendo da faculdade acadêmica e da área de estudo. Todavia, estudantes de países que integram a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) conseguem uma redução de até 50% na anuidade.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

3. Internacionalização

Apesar de ter o português como língua oficial (o quarto idioma mais falado do mudo), as universidades portuguesas estão se esforçando para atrair cada vez mais estudantes internacionais do mundo inteiro, principalmente por meio de aulas ministradas em inglês e parcerias com instituições de outros países.

A perspectiva internacional de uma universidade é um dos fatores de qualidade usados pelos principais rankings do mundo como meio de avaliação de desempenho. Isto significa que as universidades portuguesas estão interessadas não só em conseguirem melhores resultados em listas universitárias globais, como também oferecer a melhor experiência acadêmica possível a seus estudantes.

A internacionalização também pode representar a oportunidade de participar de projetos e parcerias com organizações de outros países para ganhar experiência profissional em estágios e trabalhos de investigação durante os estudos.

Curiosidade: A U.Porto, como é conhecida a Universidade do Porto, é a instituição de ensino superior mais internacional de Portugal, com aproximadamente 4.000 estudantes estrangeiros e estratégias para atrair ainda mais.

4. Custo de vida

Portugal tem um custo de vida significativamente mais baixo do que os demais países da Europa. A média mensal, contando com as taxas de ensino, é de € 600.

De fato, de acordo com o site Numbeo, viver em Lisboa, a capital portuguesa, é mais barato do que em Londres, Paris, Madri, Berlin, Dublin, Roma, Estocolmo e Edimburgo, só para mencionar algumas cidades.

5. Perspectiva de carreira

Uma graduação portuguesa pode ser a sua porta de entrada para toda a Europa. Um diploma acadêmico de uma instituição de ensino superior de Portugal é de fácil reconhecimento e equivalência pelo continente e também prepara o estudante para uma carreira internacional.

No entanto, se você resolver retornar ao Brasil, pode revalidar o seu diploma pelo processo realizados por universidades públicas.

Artigos Relacionados
Estudantes explicam como usaram a nota do Enem para estudar em Portugal e como é a rotina nas universidades portuguesas.
O Instituto de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e a Universidade Europeia, localizada em Portugal, assinaram novo convênio. Agora, a instituição de ensino superior passará a receber estudantes brasileiros via Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).
Mais de 1.200 estudantes brasileiros ingressaram em universidades portuguesas, usando notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As informações foram divulgadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), considerando 23 das 29 instituições de Portugal que usam o exame.
Os institutos Ispa e Estal aderiram ao Enem como forma de ingresso de brasileiros. Com o convênio, sobe para 31 o número de instituições que usam as notas do exame para a seleção dos estudantes do Brasil.
Mais 5 instituições de ensino superior de Portugal vão aceitar as notas do Enem. Com a nova parceria, exame é aceito em 47 instituições.
O Inep anunciou mais uma instituição portuguesa que vai aceitar as notas do Enem. Estudantes podem ingressar em graduações de 42 universidades.
O Inep informou que o Ipam, em Portugal, vai aceitar as notas do Enem. Ao todo, 48 instituições estão na parceria Enem Portugal.
  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES