Em 22/09/2017 07h45 , atualizado em 22/09/2017 07h57

Aluna brasileira no Reino Unido explica as diferenças do ensino médio britânico

Estudar no Exterior

Rafaela Sousa conta, ainda, como foi o seu processo de seleção universitária no exterior e a solicitação da cidadania britânica Por Hotcourses Brasil
Aos 23 anos, Rafaela já é graduada e pós-graduada em áreas do Jornalismo, com bacharelado e mestrado britânicos
Aos 23 anos, Rafaela já é graduada e pós-graduada em áreas do Jornalismo, com bacharelado e mestrado britânicos
PUBLICIDADE

Rafaela Sousa mudou-se na adolescência para a Inglaterra, mais especificamente para Bristol, com os pais. Aos 13 anos, ela precisou concluir o ensino médio no país antes de ingressar em uma universidade do Reino Unido.

Atualmente, aos 23 anos, Rafaela já é graduada e pós-graduada em áreas do Jornalismo, com bacharelado e mestrado britânicos. Após oito anos residindo no país e um longo processo, ela conseguiu uma cidadania britânica.

Em entrevista ao Brasil Escola, Rafaela explicou as principais diferenças de se cursar o colegial no Brasil e no Reino Unido, como foi o seu processo de seleção universitária no exterior e a solicitação da cidadania britânica.

Confira a seguir!

Quando e por que você se mudou para a Inglaterra? 

Mudei-me em 2008, tinha quase 14 anos na época, porque o meu pai arranjou um trabalho aqui em Bristol.

Como foi a mudança e a sua adaptação ao país na adolescência?

No começo, eu achei um pouco difícil devido à barreira linguística, mas com o tempo eu fui me acostumando e hoje eu adoro morar aqui.  

Como foram os seus anos no ensino médio? E a sua preparação para estudar em uma universidade no Reino Unido?

Eu tive a sorte de ter bons amigos durante o tempo que eu moro no Reino Unido, já que durante esses anos de escola, eles foram umas da pessoas que mais me ajudaram com o meu inglês.

Aqui, o college/sixth-form serve para isso: preparar para a universidade. Tive que fazer o meu A-level e o meu A2 para poder entrar na minha faculdade de escolha.

Quais são as principais diferenças entre Ensino Fundamental e Médio do Brasil e da Inglaterra?

Uma das grandes diferenças foram os GCSEs que precisamos fazer nos últimos anos da escola, que são o Year 10 e o Year 11 - nesse anos temos 15 e 16 anos. É diferente porque podemos escolher as aulas que queremos ter, com exceção das aulas de matemática, inglês, ciência e educação física, que são obrigatórias. Mas, além dessas aulas, podemos escolher o resto, como geografia, cozinha, artes, línguas (como francês e espanhol), drama, entre outros.

Já para o A-Levels, você pode escolher qualquer aula, sem nenhuma obrigatória, a não ser que alguém não tenha passado no seu GCSE de matemática e de inglês, aí a pessoa terá que fazer esses dois de novo. Os alunos normalmente escolhem as classes do A-Level que tenham relação com o curso que eles querem fazer na faculdade. Os A-Levels são uma opção, o aluno pode escolher se ele quer fazê-los ou não. Mas são obrigatórios para quem quer entrar em uma faculdade.

E também o aluno sempre passa de ano, mesmo não passando em algum GCSE. Mas é necessário ter o GCSE de matemática, inglês e ciência acima da nota C para poder encontrar qualquer emprego aqui. A nota A* sendo a mais alta.

De acordo com a sua experiência, quais as vantagens de cursar o colegial no Reino Unido, especialmente se a intenção for fazer uma universidade no exterior?

Adoro estudar aqui, é muito bom para melhorar o seu inglês e ajudar com a sua autoconfiança. Aqui também tem muitas pessoas de outros países, como a Espanha, Alemanha, Estados Unidos, México, China, entre outros. Assim você também vai aprendendo a cultura desses países, a diversidade é muito grande. Você conhece novas pessoas de países diferentes todos os dias.

Quais tipos de suporte a sua escola na Inglaterra ofereceu quando você chegou?

Quando eu entrei na escola, eu tinha 14 anos e entrei no meio do ano. Cheguei aqui em janeiro, e as aulas daqui vão de setembro até julho para os alunos do Ensino Médio. Outro aluno tinha chegado na mesma época que a minha, assim uma professora (que a sua língua natal era espanhol) nos ajudava com o nosso inglês todos os dias durante um tempo livre.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
Rafaela precisou fazer o A-level e o A2 para poder ingressar na faculdade escolhida

Como são os professores em comparação aos do Brasil?

Não tem muita diferença entre os professores daqui e os do Brasil, mas como fui a uma escola católica, os professores eram mais rígidos quando o assunto era o uniforme escolar. O uniforme consistia em uma saia, meia-calça preta, sapatilha preta, uma blusa branca, gravata e um casaco, e um blazer (apesar que naquela época não precisei usar o blazer). O uniforme para a educação física é diferente. E não podia usar nenhum tipo de joalheria.

De maneira geral, o que achou do A-Level, o preparatório universitário britânico?

Gostei muito. Tive a oportunidade de escolher a matéria que queria fazer para a minha faculdade, aprendi muito com as aulas, e além disso fiz vários amigos durante os meus A-Levels.

Você tirou a cidadania britânica antes ou depois de mudar? Como foi o processo?

Eu tirei a cidadania britânica depois de morar oito anos aqui. O processo é um pouco longo. Antes de me mudar para a Inglaterra eu já tinha vindo com o visto, e depois que completei cinco anos morando aqui, eu apliquei para o visto definitivo, e então eu fiz um teste chamado “Life in the UK”. 

Um ano depois do teste, eu apliquei para a cidadania britânica, e fiz um teste de inglês, e assim que eu passei e tirei a minha cidadania, eu apliquei para o passaporte britânico. 

O que mais te marcou em relação à diferença de cultura, costumes e estilo de vida britânicos e brasileiros?

Gosto muito da comida daqui, mas também amo a comida do Brasil. Acho que o que me marcou mais no começo foi o frio, já que na época eu não estava muito preparada, especialmente porque eu vim para a Inglaterra durante o inverno. A temperatura daqui, até no verão, é bem diferente da do Brasil.

Como foi o processo de seleção na sua universidade britânica? 

Durante o processo de escolha eu podia aplicar para mais ou menos cinco faculdades, colocando a minha favorita como a minha primeira opção, a minha segunda favorita como a minha segunda opção e assim por diante. Tudo que eu precisei para aplicar foram os meus GCSEs, que são equivalentes ao Ensino Médio do Brasil, e os meus A-Levels (A-Level e A2). 

Quais documentos você precisou providenciar para se matricular na universidade?

Para ao meu bacharelado, no dia da matrícula, eu só precisei levar as minhas notas (GCSEs e A-Levels), o meu passaporte, o resultado do teste de inglês (o IELTS), e o visto permanente (também podem levar o seu visto de estudante em vez do visto permanente). Mas antes de fazer essa matrícula na própria faculdade, eu apliquei para a universidade pelo sistema britânico chamado UCAS.

Já para o meu mestrado eu já pude aplicar pelo o próprio site da universidade, e só precisei das minhas notas (GCSEs, A-Level e do meu bacharelado), duas cartas de referência de dois dos meus professores do bacharelado, uma 'personal statement' (que eu também precisei para a minha primeira faculdade, só que escrita diferente), cartas com o meu endereço e o meu passaporte. Que eu me lembre, foi isso que eu precisei.

O que e onde você estudou?

Eu estudei Multimedia Journalism (Jornalismo Multimídia) em London South Bank University (Londres), e fiz mestrado em Digital Media and Society (Mídia Digital e Sociedade) em Cardiff University (Cardiff, País de Gales).

Artigos Relacionados
Conheça a University of South Wales, no País de Gales, que oferece bolsas de estudo para estudantes internacionais com um bom histórico escolar.
Utilizando técnicas criadas pelo FBI, um novo software de “linguística forense” está sendo desenvolvido no Reino Unido para identificar plágios em trabalhos universitários ao analisar a composição dos documentos, como vocabulário, pontuação e formato. 
Duas youtubers brasileiras que já passaram por um intercâmbio High School listam os prós, contras, principais aprendizados e dificuldades da experiência. Elas registraram tudo em seus canais no YouTube. Veja o que elas disseram sobre o intercâmbio no Canadá e Estados Unidos.
Você conseguiria passar na entrevista de admissão da Universidade de Oxford? A instituição tem uma série de fases durante o seu processo de admissão para garantir que apenas os melhores candidatos sejam selecionados, já que a concorrência é muito grande.
Você imagina quais são as universidades mais concorridas e difíceis de entrar no Reino Unido? Descubra clicando aqui! Para chegar aos resultados da pesquisa, o Complete University Guide analisou e deu notas para cinco fatores.
BTEC é a sigla para Business and Technology Education Council – ou, em português, Conselho de Educação em Negócios e Tecnologia.
A University of Bristol abriu o processo de inscrição para as suas bolsas de estudo Think Big com início em setembro de 2018.
O Enem deve mudar até 2010 para se adaptar ao novo ensino médio. A informação é da secretária executiva do Ministério da Educação (MEC).
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES