Whatsapp
Em 17/09/2014 11h49 , atualizado em 17/09/2014 12h23

Dica sobre o Estado Palestino para o Enem

Enem

Nesta dica sobre o Estado Palestino para o Enem há, em destaque, alguns elementos para compreender os problemas que envolvem esse tema e realizar uma boa prova. Por Cláudio Fernandes
A população dos territórios palestinos ainda almeja um Estado autônomo na região do Oriente Médio
A população dos territórios palestinos ainda almeja um Estado autônomo na região do Oriente Médio
PUBLICIDADE

Olá, pessoal! Tudo certo?

Trazemos neste texto algumas dicas para o Enem sobre as questões que envolvem o Estado Palestino, ou melhor, sobre as tentativas de construção de um Estado Palestino na região do Oriente Médio. Trazemos também a análise de uma abordagem que o Enem fez desse tema na prova de 2013.

O problema em torno da construção do Estado Palestino remonta ao fim da Primeira Guerra Mundial, em 1918, e à queda do Império Turco-Otomano, do qual a Palestina fazia parte. Esse período também marcou o início da migração em massa de judeus europeus para a região da Palestina, que, pouco a pouco – sobretudo por meio da compra de terras do Império Turco-Otomano – foram construindo o espaço no qual seria estabelecido o Estado de Israel, legitimado em 1947. 

Ao longo das primeiras décadas do século XX, com o fim da Primeira Guerra, a Palestina esteve sob a tutela da Inglaterra, que a administrava com o aval da Liga das Nações. Ao longo da década de 1920, os judeus europeus, organizados em torno do projeto sionista, foram auxiliados pelos britânicos e por outros países-membros da Liga das Nações a construírem o Estado de Israel na região da Palestina. Nas décadas seguintes, com a Segunda Guerra Mundial e o genocídio dos judeus executado pelos nazistas, houve uma migração mais intensiva de judeus europeus para essa região. O reconhecimento do Estado de Israel pela Organização das Nações Unidas (ONU) – sucessora da Liga das Nações – não foi suficiente para os países da Liga Árabe, vizinhos de Israel (sobretudo Egito, Jordânia, Líbano e Síria), aceitarem um Estado judeu em território majoritariamente árabe e muçulmano.  O conflito armado entre Israel e seus vizinhos começou já em 1948 e estendeu-se pelas décadas seguintes de forma periódica. 

Em meio a esses conflitos, os palestinos, que almejavam a construção de um Estado próprio também, passaram a organizar-se política e militarmente contra Israel. A organização palestina mais famosa foi a OLP (Organização Para Libertação da Palestina), cujo partido integrante Fatah, liderado por Yasser Arafat, que atuou sobretudo na Cisjordânia, destacou-se. Apesar dos muitos anos de conflito com os israelenses, Arafat foi o primeiro chefe da autoridade palestina a reconhecer o direito de existência do Estado de Israel e a almejar a construção de um Estado Palestino que convivesse em paz com os judeus na mesma região. Mas essa opinião não era, e ainda não é,  majoritária entre os palestinos. Partidos políticos como o Hamas, que atua principalmente na Faixa de Gaza, outra região de territórios palestinos, negam o direito de existência do Estado de Israel e promovem constantes ataques terroristas contra o território judaico, dificultando ainda mais a possibilidade de acordo entre ambas as partes, com vistas à construção de um Estado propriamente palestino. 

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Esses problemas, bem como a questão dos refugiados palestinos e da quantidade de mortos que o conflito com Israel já acarretou até o momento presente, são potenciais temas de abordagens do Enem. Passemos, então, à análise da questão do Enem de 2013, cuja resposta correta é a destacada na cor verde. 

Tema do reconhecimento do Estado Palestino abordado no Enem de 2013
Tema do reconhecimento do Estado Palestino abordado no Enem de 2013.

A questão está estruturada a partir de um texto publicado no jornal Folha de São Paulo, em 4 de maio de 2013, assinado por D. Bercito. O texto noticia o reconhecimento simbólico da Palestina como uma unidade política por uma empresa do ramo da internet. Tal reconhecimento foi feito a partir da mudança, no sistema de busca, da palavra “territórios palestinos” para a palavra “Palestina”. A questão exige que o candidato assinale a alternativa que indique o que significa essa mudança de “status” do site. 

Pois bem, uma leitura atenta do texto já indica que a letra D, que está correta, é a única que corresponde à notícia que o texto veiculou. As outras alternativas sugerem outros pontos problemáticos realmente existentes entre alguns grupos palestinos, mas não se alinham com a proposta da empresa referida no texto da reportagem.

Sendo assim, fiquem atentos aos problemas relacionados com as tentativas de construção de um Estado Palestino, pois a vasta gama desses problemas pode servir de matéria para as abordagens do Enem. 

Bons Estudos!!!

Artigos Relacionados
Saiba um pouco das abordagens de História Contemporânea no Enem para realizar uma boa prova.
Veja algumas dicas sobre a abordagem de Políticas Patrimoniais no Enem e prepare-se para realizar uma boa prova!
Confira algumas dicas para estudar atualidades no Enem e alguns apontamentos sobre os principais assuntos recentes que podem cair na prova.
Saiba como são elaboradas as questões sobre Brasil Colônia no Enem e entenda o que é necessário para compreendê-las e ter um bom desempenho.
Fique sabendo do avanço do Estado Islâmico e da tensão que esse grupo jihadista tem desencadeado no Oriente Médio.
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES