Topo
pesquisar
Em 25/08/2017 11h52, atualizado em 25/08/2017 12h12

Psicólogo x Psiquiatra

Orientação Vocacional

Apesar de se assemelharem até mesmo pela nomenclatura, a atuação de cada uma dessas profissões é bem específica Por Érica Caetano
A profissão de Psicologia analisa o comportamento e pensamentos das pessoas
A profissão de Psicologia analisa o comportamento e pensamentos das pessoas
PUBLICIDADE

Quem é vestibulando ou já foi sabe como pode ser complicado escolher qual profissão seguir e, consequentemente, qual curso optar no vestibular. As opções são inúmeras e algumas delas se divergem em detalhes.

Há cursos com nomenclaturas parecidas e atuações que até se parecem, o que pode gerar mais questionamentos para o vestibulando. Um exemplo são as profissões de Psicologia e Psiquiatria.

A Psicologia e a Psiquiatria são carreiras que possuem aspectos em comum por lidarem com questões ligadas à mente. Mas a verdade é que estão longe de ser a mesma coisa. Entenda a diferença entre essas duas áreas:

Psicologia

A Psicologia utiliza de processos comparativos e de análises para garantir a saúde mental do paciente, o seu então cliente. É o psicólogo quem analisa o comportamento e pensamentos das pessoas. Isto pode ser feito das mais variadas formas. 

Entre as competências do profissional de Psicologia estão a realização de diagnóstico e prevenção de transtornos emocionais e da personalidade, tratamento de problemas de dificuldades de adaptação ao meio social, criação e aplicação de testes de inteligência, aptidão etc. 

Muitos destes testes de aptidão, por exemplo, são aplicados em seleções de entrevistas de emprego e para descobrir a vocação de um vestibulando.

A psicóloga Cíntia Campos explica que “a base da Psicologia é o homem em todas as suas expressões, as visíveis (como o nosso comportamento) e as invisíveis (nossos sentimentos).” 

Cíntia comenta que esta ciência estuda e busca compreender o homem e sua subjetividade. “Aqueles que estudam e lidam com a Psicologia trabalham com o objeto de estudo chamado subjetividade, ou seja, com questões individuais que cada um de nós vai desenvolvendo e vivenciando, seja na vida social ou cultural. Esta subjetividade refere-se a maneira de sentir, pensar, fantasiar, sonhar, amar e fazer de cada indivíduo”, ressalta.

Existem várias abordagens teóricas dentro da Psicologia, tais como a psicanálise, o comportamento cognitivo, psicodrama, dentro outros.

Psiquiatria

A Psiquiatria é uma especialidade médica no qual o médico estuda diversas áreas (psicopatologia, fisiologia, farmacologia, neurociências, epidemiologia e outras) para poder realizar o diagnóstico e o tratamento de problemas ligados ao estado mental, ao comportamento, às emoções e à cognição. 

Diferente da Psicologia, que há o curso superior específico, o vestibulando interessado em Psiquiatria deverá fazer o curso de Medicina e então realizar a residência na área.

A Psiquiatria é uma especialidade média, sendo necessário fazer Medicina
Crédito imagem: Shutterstock

Sendo assim, o psiquiatra é o médico responsável por avaliar quadros depressivos, problemas de ansiedade excessiva, distúrbios de atenção e memória, comportamentos alimentares disfuncionais dentre muitos outros. A psiquiatria é também uma das especialidades que lidam com a medicina do sono (área compartilhada pela pneumologia, otorrinolaringologia, neurologia e ramos alheios à medicina, como a odontologia).

O médico psiquiatra Murilo Ferreira Caetano explica como é o processo para realizar diagnósticos e possíveis tratamentos psiquiátricos. Segundo ele, após a primeira consulta do paciente, na qual se faz uma entrevista clínica somada ao exame psíquico, o psiquiatra pode solicitar exames complementares (como de sangue, imagem cerebral ou avaliação neuropsicológica - feita por um neuropsicólogo). Tendo em mãos os exames, o psiquiatra formula um diagnóstico e estabelece um plano de tratamento.

“Na situação de problemas mentais, há casos que só são tratados com psicoterapia, por exemplo, as fobias específicas, e há casos nos quais é obrigatório o tratamento medicamentoso, como é o caso do transtorno bipolar”, ressalta Murilo.

Quando o psiquiatra avalia a necessidade de psicoterapia ele pode encaminhá-lo para um psicoterapeuta ou pode ele mesmo realizar a psicoterapia, que pode ser feita tanto por psiquiatras quanto por psicólogos. No Brasil, a maioria dos psiquiatras não são psicoterapeutas, e a maioria dos psicoterapeutas é formada em Psicologia. 

Murilo ainda reforça que “em países como a Suíça, por exemplo, a formação do médico psiquiatra já é voltada para a psicoterapia. No Brasil, apesar de o psiquiatra ter que estudar psicoterapia em sua formação, de um modo geral ele não sai preparado para atuar como psicoterapeuta”. 

Aqueles psiquiatras que desejam se tornar psicoterapeutas podem fazer residência médica na área ou mesmo uma pós-graduação ou um curso de formação na linha de psicoterapia que ele prefira.

Psicologia x Psiquiatria

De um modo geral, os problemas vivenciais, resultados de questões psicossociais, ambientais etc, são primordialmente tratados com psicoterapia, ou seja, com psicólogos. Já problemas tratados exclusivamente com medicamentos, nos quais podem haver fatores de ordem genética, neural, endócrinos etc, são de responsabilidade do profissional de psiquiatria.

Para melhor compreensão, podemos exemplificar questões ligadas à ansiedade. Àquela de ordem patológica, que necessita de medicação, deve ser tratada por um psiquiatra, se diferenciando muito da ansiedade normal, relativa às preocupações maiores de nossas vidas, que podem ser tratadas por sessões de terapia com um psicólogo. 

PUBLICIDADE
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola