Topo
pesquisar
Em 19/01/2018 12h23, atualizado em 19/01/2018 13h33

5 habilidades transferíveis que você aprende estudando no exterior

Estudar no Exterior

Adaptação, trabalho em equipe, gerir o tempo e liderança são algumas das habilidades. Por Hotcourses Brasil
PUBLICIDADE

Claramente, você já deve saber de todas as vantagens e benefícios de estudar no exterior e conquistar um diploma internacional. Estes são assuntos bastante comentados e esclarecidos. Mas, nem sempre é dada a atenção e o valor devidos às habilidades “extracurriculares” e totalmente transferíveis que o estudante adquire ao estudar em outro país, em uma cultura diferente. 

São as chamadas soft skills: competências comportamentais e mais subjetivas ligadas à forma com que você interage com os outros e reage ao ambiente, como, por exemplo, pensamento crítico, empatia e flexibilidade.

Quando você estuda no exterior, desenvolve diversas soft skills que não só são facilmente transferíveis à qualquer carreira que você queira seguir posteriormente como também ajudam a lidar com desafios e situações do seu dia a dia.

1. Adaptação e trabalhar sob pressão

Mudar-se de país exige muita coragem, não há como negar! Acrescente ainda à experiência um curso em um sistema de ensino e cultura diferentes, o resultado será um dos maiores desafios que você enfrentará na sua vida. Com isso, você trabalhará a sua capacidade de se adaptar a novos ambientes, regras e costumes. 

Além disso, desenvolverá a habilidade de trabalhar sob pressão. Fazer uma faculdade já é um passo enorme mesmo sem deixar o país; no exterior, para começar, você vai estudar em um idioma estrangeiro, longe da sua família, muitas vezes precisando manter um orçamento definido... A pressão, com certeza, sobe de nível!

2. Trabalhar em equipe

Três palavrinhas definem: trabalho em grupo! O tão temido projeto em parceria com outros colegas de classe, apesar de poder dar muita dor de cabeça, ajuda a aprender a trabalhar em equipes, algo altamente valorizado no ambiente profissional. Você precisará ter paciência para lidar com as diferenças, ouvir e respeitar a opinião dos outros e chegar juntamente aos outros a um conceito que agrade a todos.

Este seria a situação ideal, mas sabemos que a experiência nem sempre é tranquila assim – principalmente quando cada integrante do grupo é fluente em um idioma diferente e precisa se comunicar em uma língua estrangeira. Mas você aprende até mesmo com os conflitos, lembrando que o respeito é sempre a resposta certa!

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Leia 6 dicas para fazer trabalhos em grupo sem dor de cabeça

3. Gestão do tempo

Ir às aulas, fazer todas as tarefas de casa, estudar para provas, preparar apresentações – tudo isso, enquanto treina o idioma, aprende uma nova cultura e, em muitos casos, trabalha. Sem contar também a vida social, que é essencial para a saúde mental e para uma experiência completa no exterior.

As atividades extracurriculares são muito valorizadas no meio acadêmico universitário internacional; os estudantes são incentivados a participar de equipes esportivas, clubes e associações de diferentes interesses, eventos culturais, etc.

Tudo isso faz com que você se aperfeiçoe na gestão do seu tempo, treinando a priorizar tarefas e ater-se a prazos.

4. Aprender com as diferenças

Este é um dos principais aprendizados de se estudar em um ambiente multicultural como o de um campus universitário no exterior: conviver com diferentes culturas e costumes e, a partir disso, aprender a respeitar e a admirar as diferenças, sejam elas culturais, étnicas, religiosas, etc. 

Isto desenvolve também as suas habilidades interpessoais: a sua capacidade de se relacionar com outras pessoas sempre em busca de uma experiência positiva. Para isso, é precisa aceitar que todo mundo é diferente um do outro, com seus defeitos e qualidades, e a respeitar estas diferenças. Estudar no exterior será uma ótima escola para as suas habilidades interpessoais!

5. Comunicação e liderança

Ouvir o que o outro tem a dizer, não reagir impulsivamente, falar com calma e clareza, esclarecer pontos mal compreendidos, olhar nos olhos, interpretar a linguagem corporal... Tudo isso são características de uma comunicação eficiente, tão necessária em qualquer ambiente – pessoal, acadêmico e profissional.

As habilidades em comunicação verbal e não-verbal colaboram com a harmonia geral e também com a boa execução de qualquer tarefa. E um bom comunicador tem o que precisa para acabar se tornando um líder!

BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola