Whatsapp
Em 14/11/2014 12h25 , atualizado em 14/11/2014 13h59

Polícia Federal prende quadrilha que fraudava Enem no Nordeste

Notícias

Ainda não se sabe se as prisões têm relação com o possível vazamento do tema da redação do Enem 2014 Por Adriano Lesme
PUBLICIDADE

Na manhã desta sexta-feira, 14 de novembro, a Polícia Federal deflagrou uma quadrilha acusada de fraudar o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e vestibulares para o curso de Medicina na Região Nordeste. A Operação Apollo prendeu duas pessoas no Ceará e outras duas na Paraíba e cumpriu nove mandatos de busca e apreensão nesses dois estados e também no Piauí.

Os presos estão envolvidos na prospecção de candidatos interessados em receber o gabarito durante as provas e de pessoas que fariam essas provas em um outro local e passariam o gabarito aos candidatos. 

No último sábado, 8, a PF prendeu dois participantes do Enem 2014 em Juazeiro do Norte, no Ceará, que tinham o gabarito da prova no celular. Eles se inscreveram como sabatistas e por isso iniciariam a prova do Enem somente às 18h, ou seja, depois dos demais participantes. 

A investigação começou há 13 meses e o esquema tinha como centro de atuação a região do Cariri, no sul do Ceará, mas as ações da quadrilha se estendiam também pela Paraíba. O foco da quadrilha eram os candidatos ao curso de Medicina, o mais concorrido na maioria das universidades públicas brasileiras. A PF agora quer descobrir quais candidatos foram beneficiados.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A corporação destacou que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Anísio Teixeira (Inep), órgão responsável pelas provas do Enem, tem colaborado com as investigações desde o ano passado, “fornecendo as informações necessárias à identificação dos investigados e à elucidação da fraude”.

Redação

A PF também investiga um suposto vazamento do tema da redação do Enem no Piauí. Após a prova do último domingo, 9, o estudante Jomásio Barros, de 17 anos, divulgou um vídeo afirmando ter recebido naquela manhã, atavés de um grupo do aplicativo de celular WhatsApp, a imagem com o assunto que seria abordado na produção textual do exame. Foi aberto um inquérito policial para apurar a veracidade dos fatos e o celular do aluno foi recolhido para perícia. Segundo a PF, não há nenhuma evidência da ligação da quadrilha com esse caso.

Por Adriano Lesme
*com informações da Agência Brasil

Relacionados
Caminhão que transportava cartões de resposta das provas reaplicadas nos dias 09 e 10 dezembro foi roubado. Novas provas serão em 08 de janeiro.
O Inep vai anular as notas de 13 participantes do Enem que foram indiciados por fraude em processos seletivos.
Quadrilha também agia em outros vestibulares, principalmente para Medicina. Inep solicitou informações sobre o caso.
Estudante do Piauí afirma ter recebido a imagem com o assunto em seu celular antes da prova.
Eles tiveram acesso ao gabarito do 1º dia de provas, via celular. Crime de fraude em certames de interesse público prevê pena mínima de um ano de reclusão.
Órgão está investigando a denúncia e enviou um ofício ao Inep cobrando providências. Resposta deve ser dada em 24h.
Perícia atestou veracidade da imagem divulgada por aplicativo de celular. Investigações ainda não terminaram.
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES