Whatsapp
Em 03/12/2007 03h04 , atualizado em 28/04/2022 17h38

Astronomia

Guia de Profissões

Profissionais da área atuam na observação e investigação científica dos elementos que formam o universo, bem como na divulgação das pesquisas da área. Por Lucas Afonso
Astronomia
A Astronomia possui bases da Física e Matemática e uma relação próxima com a informática e tecnologias.
Crédito da Imagem: John A. Davis / Shutterstock
PUBLICIDADE

A Astronomia é a ciência que investiga a origem, os fenômenos e a formação dos astros e elementos que compõem o Universo. Os profissionais desta área, os astrônomos, realizam observações de estrelas, planetas, galáxias e, por meio das imagens e tecnologias aplicadas, estudam as composições destes elementos, bem como suas movimentações no espaço. A Astrofísica, Cosmologia, Astrobiologia e Planetologia são ramos científicos da Astronomia.

Saiba mais sobre a história da Astronomia

A tecnologia é fundamental para os trabalhos e atividades desenvolvidos pelo astrônomo. Os telescópios são ferramentas essenciais para a observação do espaço, e são um dos principais instrumentos utilizados pelos astrônomos. Outra base tecnológica da ciência é a informática, pois é a partir de programações específicas que é possível realizar análises imagéticas do espaço e extrair informações detalhadas dos astros por meio de modelos computacionais.

O primeiro curso de Astronomia no Brasil é o da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), criado em 1958. A formação da UFRJ é vinculada ao Observatório Valongo, de 1881, o segundo observatório em atividade mais antigo do Brasil e que por 50 anos contou com o único curso de Astronomia de todo o país até a abertura da formação em 2009 na Universidade de São Paulo (USP). Atualmente, além das duas universidades, a Universidade Federal do Sergipe (UFS) também oferta o curso.

O curso

De grau bacharelado, com duração de cinco anos, o curso de Astronomia possui bases matemáticas e físicas consolidadas, o que faz com que essas áreas estejam intimamente relacionadas aos trabalhos e projetos dos estudantes e profissionais desta ciência. Ou seja, é necessário interesse por cálculos, já que são bem comuns ao longo da graduação.

A iniciação científica no curso de Astronomia é fundamental, já que a formação tem bases consistentes na carreira científica. Com a experiência em participação de projetos de iniciação científica, os estudantes podem vivenciar rotinas e práticas relacionadas ao fazer ciência. Esse tipo de atividade ajuda a desenvolver no graduando capacidades e habilidades dos processos de pesquisa e produção de trabalhos científicos. Sem contar que isso pode contribuir na continuidade no mestrado e doutorado.

Ao longo da formação, o estudante entra em contato com atividades de cálculos da Física e Matemática, teorias e conteúdos da ciência da Astronomia, bem como com as tecnologias necessárias para os trabalhos de observação e análise astronômica.

Gostar de informática é um diferencial para quem deseja cursar Astronomia, já que a mesma está intimamente relacionada ao universo dos softwares, uma vez que eles concretizam as programações responsáveis pela análise e estudo do Universo.

Outras habilidades essenciais são a curiosidade, o senso crítico e o saber se comunicar bem, as quais ajudam os estudantes e profissionais dessa área a conduzirem os trabalhos. É comum à área a necessidade de compartilhar, divulgar e comunicar os achados e resultados de pesquisas. Nesse sentido, a boa comunicação fortalece as demandas de divulgação, bem como contribuem para um melhor entendimento da sociedade em relação ao que se estuda e se produz na Astronomia.

Como existem poucas ofertas deste curso no Brasil, é possível fazer a graduação em Física e depois uma especialização em Astronomia para quem deseja atuar enquanto astrônomo.

Algumas disciplinas do curso

  • Física
  • Cálculo
  • Física Matemática
  • Estatística
  • Álgebra Linear
  • Geometria
  • Sistemas Planetários
  • Física Quântica
  • Mecânica
  • Física Experimental
  • Astrofísica Estelar
  • Eletromagnetismo
  • Mecânica Estatística
  • Astrofísica Galáctica e Extragaláctica
  • Cosmologia
  • Divulgação Científica
  • Análise de Dados em Astronomia
  • Mecânica Quântica
  • Métodos Numéricos em Astronomia

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Mercado de trabalho

Os principais campos de atuação e que empregam astrônomos no Brasil são as universidades, centros de pesquisa e observatórios. Para atuar nesses espaços é fundamental a continuidade dos estudos em programas de pós-graduação como o mestrado e o doutorado.

Grande parte das vagas são para a docência em universidades e na pesquisa tanto em instituições de ensino quanto em centros de pesquisa. Os projetos científicos geralmente recebem apoio financeiro de organizações de fomento.

A divulgação científica oferece possibilidades diversas de atuação como ministrar oficinas, realizar palestras, trabalhar em planetários ou mesmo atuar enquanto especialista no jornalismo científico. Os astrônomos podem atuar também na iniciativa privada, embora essas oportunidades sejam menos frequentes.

Áreas de atuação

Ensino

Grande parte dos profissionais em Astronomia atuam na academia enquanto professores. Ou seja, seguir os estudos nos programas de pós-graduação como o mestrado e doutorado são processos comuns aos egressos do curso. Com isso, o ensino e a pesquisa em universidades é uma das áreas de atuação com mais participação de astrônomos.

Pesquisa

O desenvolvimento de pesquisas científicas em centros de pesquisas nacionais e internacionais, bem como em instituições de ensino, é uma outra atividade com participação massiva de astrônomos. Uma das possibilidades de remuneração nesse ramo é oriunda de bolsas pagas por instituições de fomento à pesquisa.

Divulgação

Uma área de atuação que não necessita necessariamente de alguma pós-graduação é o trabalho com divulgação sobre Astronomia em Planetários, Museus de Ciências e outras instituições de ensino de ciências para professores de escolas, ou mesmo enquanto especialista da área no jornalismo científico.

Empresas

Apesar de não ser muito comum, no ramo da alta tecnologia, empresas podem contratar astrônomos para projetarem e desenvolverem detectores, sensores, telescópios, bem como sistemas de automação e controle.

Salário

De acordo com a plataforma Catho, a média salarial de um astrônomo no Brasil é de R$8.753,21. Isso porque a maioria dos astrônomos é professor concursado de universidade pública, ou sejam, ganham esse salário depois de cursar um mestrado e um doutorado. 

Onde estudar

Atualmente, o curso de Astronomia é ofertado em apenas três instituições de ensino brasileiras:

Rio de Janeiro: UFRJ
São Paulo: USP
Sergipe: UFS

  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES