Em 01/04/2020 15h49 , atualizado em 01/04/2020 17h09

Atualidades Vestibular e Enem - março de 2020

Atualidades

Mudança de classificação de epidemia para pandemia do coronavírus Covid-19 deixou o mundo todo em alerta e vários países decretaram quarentena. Por Adriano Lesme
Crédito da imagem: CSSE John Hopkins
Crédito da imagem: CSSE John Hopkins
PUBLICIDADE

Março de 2020 ficará lembrado durante muito tempo como o mês em que a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou pandemia do coronavírus covid-19 e em que explodiram os casos da doença no mundo, principalmente na Itália, Espanha e Estados Unidos. Vários países decretaram quarentena e fechamento de fronteiras terrestres e aéreas.

Outros assuntos também foram notícia no Brasil e no mundo em março de 2020. Para saber mais detalhes, clique nos links que redirecionam para portais de notícias como UOL, Folha, BBC, Agência Brasil e G1.

Coronavírus

De acordo com o Centro de Ciência e Engenharia de Sistemas (CSSE) da Universidade Johns Hopkins, quase 850 mil casos de covid-19 foram registrados em todo o mundo e mais de 41 mil pessoas já morreram. O número de infectados pode subir muito em abril, pois vários países ainda não atingiram seu pico, como no Brasil.

Entenda o que é pandemia

O país que mais sofreu com a pandemia em março foi a Itália, embora os Estados Unidos tenha passado o país europeu em número de casos. Até o dia 31, a Itália contabilizava 106 mil casos da doença e 12,5 mil mortes. A região da Lombardia, cuja capital é Milão, é a que mais sofre da doença.

Apenas militares e policiais podem circular pelas ruas de Milão
Crédito da foto: VILTVART / Shutterstock.com

Outro país europeu que viu explodir o número de casos de covid-19 em março foi a Espanha, ultrapassando, inclusive, a China. Mais de 8 mil espanhóis já morreram pela doença. A França e o Reino Unido contabilizam, juntos, mais de 5 mil mortes. Fora da Europa, o Irã já registra quase 3 mil mortos.

No final de março, os Estados Unidos emergiram como o novo epicentro de coronavírus no mundo. Com a estratégia de realizar um grande número de testes para mapear as regiões mais afetadas, milhares de casos são registrados todos os dias. Atualmente, mais de 180 mil habitantes dos EUA estão com covid-19 e mais de 3 mil pessoas já morreram. A cidade de Nova Iorque é a mais atingida.

Em meio ao caos mundial, uma boa notícia surgiu da China, país onde a epidemia começou, ainda em novembro de 2019. Mais de dois meses depois do país adotar a quarentena, não foram mais registrados novos casos locais de contágio do covid-19. O país agora se preocupa com o retorno de cidadãos que estavam no exterior, que podem trazer o vírus e iniciar uma nova onda de infecções.

Coronavírus no Brasil

O último levantamento divulgado pelo Ministério da Saúde em março registrou 201 mortes e quase 6 mil casos confirmados da doença no Brasil. O número de infectados deve ser bem maior porque somente pacientes do grupo de risco ou com sintoma de falta de ar estão sendo testados na maioria dos estados. A recomendação para pessoas com sintomas leves é ficar em casa.

São Paulo é o estado com o maior número de mortos e infectados. A primeira morte foi registrada justamente neste estado, a de um senhor de 62 anos que tinha diabetes e hipertensão. Apesar de a doença atingir principalmente os idosos, também foram registradas mortes de pessoas jovens e saudáveis no Brasil

Para conter a disseminação da doença e o colapso do sistema de saúde no Brasil, o Ministério da Saúde recomendou que a população evite aglomerações e fique em casa. Vários estados decretaram o fechamento de escolas e do comércio, exceto serviços essenciais, como supermercados, farmácias e postos de gasolina. Muitos brasileiros estão trabalhando em casa, o chamado home-office.

Postura de Bolsonaro

Contrariando recomendações da OMS e do próprio Ministério da Saúde, o presidente Jair Bolsonaro fez aparições públicas, se pronunciou contra o isolamento e classificou o novo coronavírus como uma “gripezinha”. O Governo Federal também elaborou uma campanha publicitária com o tema “O Brasil não pode parar”, incentivando os brasileiros a descumprirem as determinações dos governadores e abrirem o comércio. A campanha foi proibida pela Justiça Federal no Rio de Janeiro e o Ministério Público Federal recomendou que o Governo use o dinheiro da campanha para a compra de respiradores.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

A postura do presidente Jair Bolsonaro revoltou parte da população, que voltou a protestar com o “panelaço”, como aconteceu antes do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Três pedidos de impeachment de Bolsonaro também foram enviados ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM). 

O presidente Bolsonaro alega que o fechamento do comércio é prejudicial para a economia e que muitos brasileiros terão dificuldade para pagar as contas e comprar comida, principalmente os trabalhadores informais. Para socorrer essa população, a Câmara e o Senado aprovaram um auxílio emergencial de R$ 600 durante três meses. A proposta inicial do Governo era de R$ 200. A medida aguarda aprovação de Jair Bolsonaro.

PIB

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou o resultado de 2019 do Produto Interno Bruto (PIB), que foi de 1,1%, menor que o registrado em 2017 e 2018. É a mais fraca recuperação de recessão já registrada no Brasil. O presidente Bolsonaro não quis responder jornalistas sobre o resultado do PIB e colocou um humorista no seu lugar.

Entenda o que é PIB

Tragédias

As enchentes causaram mais vítimas em março, principalmente na Baixada Santista. Pelo menos 42 pessoas morreram

No Amapá, 34 pessoas morreram após um naufrágio. A Polícia Civil ainda não concluiu o inquérito, mas já se sabe que uma das causas foi o excesso de carga transportada no navio. O transporte fluvial é bastante comum na Região Norte, mas também perigoso pela falta de procedimentos de segurança e pouca fiscalização. 

Eleições nos EUA

Candidatos do Partido Democrata participaram de debates em março
Crédito da foto: Joseph Sohm / Shutterstock.com

Joe Biden, ex-vice presidente dos Estados Unidos, saiu na frente de Bernie Sanders na corrida para ser o representante do Partido Democrata nas eleições presidenciais no final do ano. Pelo Partido Republicado, Donald Trump tentará sua reeleição.

Sanders, de esquerda, liderava as pesquisas antes da Super Terça, mas Biden ganhou o apoio das lideranças moderadas do partido após a desistência de outras candidaturas. Até o momento, Joe Biden possui 1.217 delegados e Sanders, 914. São necessários 1.991 delegados para vencer as eleições do Partido Democrata.

Entenda as eleições nos Estados Unidos

Cura da Aids

Um americano portador do HIV pode ter sido curado após se submeter a um transplante de céulas-tronco, sendo o segundo do mundo a se recuperar da Aids. O primeiro caso aconteceu há 10 anos e ficou conhecido como o “paciente de Berlim”.

Apesar da ótima notícia, cientistas alertam que é necessário mais testes e pacientes curados para determinar uma cura. Além disso, o método é agressivo e arriscado.

Assassinato de Herzog

Quarenta e cinco anos após o crime, o Ministério Público Federal denunciou seis pessoas pelo assassinato e por terem forjado o suicídio do jornalista Vladimir Herzog, preso e torturado na Ditadura Militar. Herzog não militava na clandestinidade e não participou de atividades de guerrilha urbana. Era jornalista da TV Cultura. Um dia, foi chamado para depor no DOI-Codi e nunca mais voltou para casa. A foto forjada de Herzog enforcado se tornou um símbolo da luta contra a ditadura. 

BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES