Whatsapp
Em 29/12/2017 14h33 , atualizado em 29/12/2017 17h14

UnB investiga 100 casos de fraude em cotas raciais

Notícias

Instituição abriu comissão de sindicância e Termo de Ajustamento de Conduta para apurar denúncias Por Silvia Tancredi
PUBLICIDADE

A Universidade de Brasília (UnB) criou comissão para apurar denúncias de fraudes que apontam que cerca de 100 estudantes ocupam vagas como cotistas raciais sem se enquadrarem nessa modalidade. 

Além de realizar essa investigação, a instituição informa que firmou um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com a finalidade de estabelecer procedimentos adequados para prevenir, coibir e punir fraudes.

O termo foi firmado, segundo a UnB, para seguir a orientação do Ministério Público Federal (MPF) que, fundamentado em decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), orientou para a necessidade de as instituições adotarem procedimentos que inibam possíveis fraudes.

A universidade avisa que, na primeira semana de janeiro, vai realizar reunião sobre o assunto com o MPF, com a comissão que investiga as supostas fraudes e com a banca que organiza os vestibulares da instituição, o Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe).

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Entenda a Lei de Cotas

Regulamentada pelo Decreto nº 7.824/2012, a Lei de Cotas é exclusiva para oriundos da rede pública de ensino e propõe a distribuição da seguinte forma: 50% das vagas para candidatos com renda familiar mensal de até 1,5 salário-mínimo por pessoa e a outra metade para renda acima desse valor. 

Dentro de cada faixa de renda, conforme a Lei de Cotas, há vagas para pretos, pardos e indígenas na mesma proporção do último Censo Demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na região. 

Veja também: Fraudes expõem falhas no sistema de cotas racial

 

Relacionados
A Universidade de Brasília (UnB) divulgou na tarde de hoje, 16 de janeiro, a relação de convocados no Vestibular Indígena 2018
Denúncias de fraude no sistema de cotas faz universidades criarem comissões de avaliação da autodeclaração de raça.
Universidades e institutos federais deverão informar ao Ministério Público Federal se adotam comissões para confirmar a veracidade de candidatos autodeclarados pretos e pardos em vestibulares que oferecem vagas para cotistas.
A Comissão Técnica criada pela UFU para avaliar matrículas de estudantes cotistas, passa exigir foto e vídeo para analisar fenótipo dos estudantes.
A UnB abriu nesta quarta-feira, dia 18 de abril, o prazo para inscrições no Vestibular 2018. A expectativa é de que sejam preenchidas 2.105 vagas, em cursos de graduação, ministrados pela universidade. O prazo de inscrição termina no dia 29 de abril.
A versão definitiva dos gabaritos do PAS 2017 da UnB está disponível. A lista de aprovados será conhecida no dia 22 de janeiro.
A Unespar estuda adotar cotas em seu Vestibular e no SiSU. Instituição criou a Comissão de Cotas na última sexta-feira, 11 de maio.
A Unicamp aprovou a criação de um sistema de reserva de vagas, além das ações afirmativas existentes. Além disso, será criado um vestibular via Enem.
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES