Em 04/05/2020 16h03 , atualizado em 05/05/2020 11h31

Estudantes criticam propaganda do MEC sobre o Enem 2020

Notícias

Peça publicitária diz que "o Brasil não pode parar" e pede para estudantes estudarem de qualquer lugar e de diferentes formas. Por Adriano Lesme
Crédito: reprodução YouTube
Crédito: reprodução YouTube
PUBLICIDADE

Estudantes estão criticando nas redes sociais a nova peça publicitária do Ministério da Educação (MEC) sobre o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. O vídeo "Enem 2020: o Brasil não pode parar!" foi lançado nesta segunda-feira, 4 de maio.

No vídeo, quatro atores adolescentes dizem que "a vida não pode parar" e pedem para os estudantes estudarem de qualquer lugar e de diferentes formas. A peça publicitária também informa o período de inscrição do Enem 2020, que é de 11 a 22 de maio. Veja abaixo a campanha do MEC:

Nas redes sociais Facebook e Twitter, além do espaço para comentários no YouTube, estudantes reclamam da manutenção do calendário do Enem 2020 no atual contexto da pandemia de covid-19. Desde março, escolas públicas e particulares estão sem aula presencial para promover o isolamento social, principal medida de prevenção contra o coronavírus.

Estudantes criticam a campanha no Facebook

Entre as principais reclamações está o fato de vários estudantes não terem condições de estudar pela internet. Sobre isso, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, em entrevista à rádio Jovem Pan de São Paulo no dia 14 de abril, afirmou que o Enem não é 100% justo. "O objetivo do Enem é selecionar as pessoas mais qualificadas e mais inteligentes", completou Weintraub. Ele também criticou o isolamento decretado por governadores e pediu o retorno das aulas em regiões com poucos casos do novo coronavírus.

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)
O assunto é o mais comentado no Twitter nesta tarde

Em contato feito pelo Brasil Escola, o MEC respondeu que não irá se manifestar sobre o assunto.

Enem na Justiça

Na última terça-feira, 28 de abril, o Tribunal Regional da 3ª Região (TRF-3) decidiu por manter o cronograma do Enem 2020. Em decisão liminar (provisória) anterior, o TRF-3 havia decidido pela alteração do cronograma e prorrogação do prazo para pedidos de isenção da taxa de inscrição.

A juíza Marisa Cláudia Gonçalves Cucio mudou sua decisão depois que o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) alterou os editais do Enem 2020 (prova impressa e digital), passando a aceitar pedidos de isenção da taxa durante o período de inscrição.

Com a publicação dos novos editais, a juiza Marisa Cláudia apenas determinou que o Inep fizesse as alterações também no site oficial do Enem, o que já ocorreu.

BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES