Topo
pesquisar
Em 05/12/2007 06h01, atualizado em 10/08/2016 12h07

Engenharia Naval (Construção Naval)

Guia de Profissões

Exigência por Engenheiros Navais aumentou nos últimos anos em decorrência dos investimentos do Governo Federal na área Por Marla Rodrigues
Este engenheiro realiza o projeto e acompanha a construção de navios
Este engenheiro realiza o projeto e acompanha a construção de navios
PUBLICIDADE

É a área da engenharia capaz de construir e dar manutenção em embarcações e seus equipamentos. O engenheiro naval projeta toda a estrutura dos navios. Para fazer isso, ele considera o fim a que se destina o navio, barco, lancha ou submarino; a quantidade de carga e de passageiros; a distância a ser percorrida e o local aonde vai navegar: mar, rio ou lago.

Esta profissão é responsável por coordenar e participar de todo o processo de fabricação dos navios e verificar a matéria-prima utilizada para este fim. Além disso, ele pode cuidar do tráfego e das comunicações do transporte marítimo e fluvial.

Mercado de trabalho

As melhores vagas para este profissional estão nas empresas de exploração de petróleo, como a Petrobras. Há esperanças de que o mercado se expanda cada vez mais, já que o governo tem investido em logística por meio do Programa de Aceleração do Crescimento, o PAC. Por razões históricas o transporte de mercadorias é feito há anos principalmente em rodovias, mas a tendência é que isto mude já que o transporte marítimo e fluvial é mais econômico e ambientalmente responsável do que o transporte terrestre.

Com as medidas governamentais o número de contratações de engenheiros naval deve aumentar para atuar em projetos, supervisão, inspeção, planejamento e gestão de operações. Os recém-formados podem trabalhar em escritório de projetos e em empresas que certificam a regularidade das construções navais. O salário médio está em torno de R$ 8,8 mil.

Este profissional formado em Engenharia Naval pode:

- Projetar e coordenar a construção e manutenção de embarcações como navios, barcos e lanchas;
- Planejar o embarque, transporte, desembarque e armazenamento de produtos do comércio marítimo e fluvial;
- Desenvolver tecnologias para submarinos, plataformas flutuantes e robôs de exploração submarina e
- Projetar e construir plataformas marítimas e tubulações para transporte de petróleo.

O curso

O currículo desta habilitação é igual ao de todas as outras engenharias nos dois primeiros anos do curso, mas nos três últimos anos é voltado para a área escolhida e suas principais disciplinas são desenho técnico, mecânica geral, estrutura e propriedade de materiais, sistemas de transporte aquaviário, cálculo, logística de transportes, geomorfologia fluvial, hidrodinâmica, termodinâmica, arquitetura naval, portos e oceanografia. O curso também é conhecido como Construção Naval.

Instituições

Região Nordeste
Pernambuco: UFPE

Região Norte
Amazonas: UEA (Construção Naval), UniNorte (Construção Naval), ULBRA (Construção Naval).
Pará: UFPA.

Região Sudeste
Espírito Santo: UVV (Construção Naval)
Rio de Janeiro: UFRJ, UEZO (Construção Naval)
São Paulo: USP.

Região Sul
Santa Catarina: UFSC, UniVali (Construção Naval).

PUBLICIDADE
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola