Whatsapp
Em 20/09/2021 09h40 , atualizado em 20/09/2021 09h49

Ciência e Tecnologia de Alimentos

Guia de Profissões

Profissional estuda o alimento desde a matéria-prima até chegar ao consumidor final. Por Lorraine Vilela Campos
O controle de qualidade de bebidas e alimentos faz parte das atividades do profissional
O controle de qualidade de bebidas e alimentos faz parte das atividades do profissional
Crédito da Imagem: shutterstock
PUBLICIDADE

O cientista de alimentos é o único profissional que estuda o alimento integralmente e em todo o seu processo, da matéria-prima até a mesa do consumidor. Para atuar na área é preciso fazer o curso de graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos. 

O curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos, também conhecido como Ciência de Alimentos, é um bacharelado com duração entre 4 anos e meio e 5 anos. Trata-se de uma graduação que integra o campo das Ciências Agrárias. Em algumas instituições, pode estar dentro de Ciências do Meio Ambiente/Ambientais. 

O estudante que deseja fazer o curso precisa ter interesse por disciplinas como Biologia, Química e Física; ser curioso e gostar de pesquisar; ser adaptável e estar preparado para os mais diferentes ambientes de trabalho e pesquisa; se interessar em buscar alternativas para uma alimentação mais saudável para a população; saber trabalhar em equipe.

O que faz o cientista de alimentos? 

O cientista de alimentos é o profissional que tem conhecimento sobre os alimentos em sua totalidade, avaliando aspectos bioquímicos, nutricionais, higiênico-sanitários e o cumprimento da legislação vigente no país – como a conferência das informações presentes nos rótulos e emissão de documentos para tráfego interno e exportação.

A área de Ciência do Alimento leva em consideração a demanda do consumidor pelo alimento, a rentabilidade para o produtor, os impactos que a produção terá, riscos e benefícios para a saúde de quem consome, as sensações que uma comida desperta ao ser consumida e outros aspectos. 

O cientista considera a alimentação do ponto de vista econômico, social, cultural e ambiental, buscando sempre o uso sustentável do produto. Por isso, o curso integra conceitos de áreas como biologia, nutrição, administração, marketing, ecologia, agronomia e química.

Leia também: Profissão de nutricionista e o curso de Nutrição

O Curso 

A graduação é considerada recente e, por isso, ainda tem pouca oferta no Brasil. A primeira turma iniciou suas atividades em 2001, na Universidade de São Paulo (USP), instituição em que o curso tem o nome de Ciências de Alimentos. De acordo com a Associação dos Profissionais Cientistas de Alimentos (Apcal), a estimativa é de que apenas 15 instituições de ensino ofereçam a graduação.

Disciplinas 

A grade curricular do curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos tem como base as disciplinas de Química, Biologia e Física. 

Os nomes das disciplinas estudadas durante o curso podem mudar de uma instituição para a outra. No entanto, o comum é encontrar nas grades curriculares as seguintes matérias:

  • Química de Alimentos
  • Bioquímica de Alimentos
  • Tecnologia de Grãos
  • Tecnologia de Bebidas
  • Tecnologia de Óleos e Gorduras
  • Tecnologia em Frutas e Hortaliças
  • Gestão Ambiental
  • Comercialização e Marketing
  • Controle de Qualidade
  • Gestão de Resíduos
  • Instalações e Equipamentos para Indústria de Alimentos
  • Nutrição em Saúde Coletiva
  • Fundamentos da Tecnologia da Informação
  • Matemática Aplicada
  • Física Aplicada
  • Matérias-primas de origem animal
  • Microbiologia de Alimentos
  • Princípios de Conservação de Alimentos
  • Higiene e Vigilância Sanitária de Alimentos

Estágio obrigatório 

A disciplina de estágio obrigatório está presente no curso de Ciência e Tecnologia de Alimentos e, geralmente, faz parte da grade curricular do último período. 

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

Durante a disciplina, o aluno entrega ao professor relatórios sobre seu desempenho no estágio e sobre as atividades desempenhadas, sempre com avaliação e acompanhamento do profissional responsável pelo estagiário. 

No estágio, o estudante terá contato com a prática da profissão e conhecerá as diferentes possibilidades de atuação para o cientista de alimentos. 

Fazer o estágio é muito importante para a vida acadêmica e profissional. É uma ótima oportunidade de fazer redes de contato para o futuro na carreira. É comum que alguns locais efetivem seus estagiários após a conclusão do curso. 

Mercado de trabalho 

As oportunidades para o cientista de alimentos têm crescido nos últimos anos devido à demanda por alimentos de maior qualidade nutricional e um maior rigor técnico adotado pelas indústrias.

  • São locais com oportunidades para o cientista de alimentos:
  • Indústrias e agroindústrias
  • Agências de Vigilância Sanitária
  • Cooperativas
  • Empresas atacadistas e varejistas no ramo de alimentação
  • Hotéis e resorts
  • Consultoria na área de ingredientes, insumos e alimentos para a cadeia produtiva
  • ONGs
  • Órgãos públicos no geral
  • Restaurantes e serviços de alimentação 
  • Instituições de pesquisa (pesquisador)
  • Instituições de ensino superior (pesquisador e/ou professor)

O cientista de alimentos pode trabalhar em diversas áreas, mas as cinco grandes que mais empregam no Brasil são Carnes, Laticínios, Bebidas, Doces e também o setor de Educação. 

O peso do ramo pecuarista na economia, levando em consideração seu potencial de exportação e o consumo interno, faz com que a área de Carnes demande profissionais qualificados para lidar com o produto em todas as suas etapas.  

Em relação aos setores dentro das indústrias e demais locais que empregam o profissional, o controle de qualidade é responsável pela maior parte das contratações. Outros departamentos e funções que se destacam como fonte de emprego são Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), laboratório, acadêmico e processos. 

No mercado de trabalho, o cientista de alimentos pode atuar em cargos com diferentes nomenclaturas e níveis hierárquicos, o que geralmente varia com o tempo de experiência e vai influenciar nos salários pagos à categoria. 

O cargo de analista é o mais comum nas contratações realizadas no Brasil. Os postos de assistente, gerência e técnico aparecem na sequência.

Salário 

Pesquisa realizada em 2020 pela Apcal constatou que a faixa salarial predominante entre os profissionais egressos da graduação e os que têm até 4 anos de carreira varia de R$ 1.045 a R$ 2.090. 

Já a remuneração para profissionais de 4 a 8 anos de experiência costuma estar entre R$ 2.090 e R$ 3.135. Após tal período, quando os cargos costumam também subir o nível hierárquico, os ganhos saltam para R$ 6.270,00 a R$ 7.315,00.

*Texto com informações do presidente da Associação dos Profissionais Cientistas de Alimentos (Apcal), Dênis Ribas.

Faculdades (cursos) de Ciência de Alimentos 

Região Centro-Oeste

Mato Grosso: UFMT

Região Norte

Pará: UFRA

Região Sudeste

Espírito Santo: IFES
Minas Gerais: UFMG; UFOP; UFV; IFSuldeMinas; IFSudesteMG
Rio de Janeiro: IFF
São Paulo: USP; Unicamp

Região Sul

Rio Grande do Sul: UERGS; Unipampa
Santa Catarina: UFSC

Artigos Relacionados
Conheça o curso de Engenharia de Alimentos, como é a faculdade e as disciplinas. Saiba como é a profissão de engenheiro de alimentos e quanto ganha.
Saiba mais sobre o curso de Nutrição e conheça o mercado de trabalho e salário do profissional graduado nesta área.
Saiba qual a diferença entre Química, Engenharia Química e Química Industrial, como são os cursos e o mercado de trabalho.
  • Facebook Brasil Escola
  • Instagram Brasil Escola
  • Twitter Brasil Escola
  • Youtube Brasil Escola
  • RSS Brasil Escola
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES