Topo
pesquisar
Em 07/07/2014 13h57, atualizado em 10/07/2014 09h29

Noções de economia para o Enem

Enem

Algumas noções de economia para o Enem são fundamentais para a resolução de questões sociais e históricas que aparecem com frequência no exame. Por Rodolfo F. Alves Pena
É sempre importante compreender algumas noções de economia para o Enem
É sempre importante compreender algumas noções de economia para o Enem
PUBLICIDADE

Olá, pessoal! Hoje vamos conferir algumas dicas de economia para o Enem.
 
Como sabemos, a economia não é ensinada diretamente no ensino médio ou fundamental, ou seja, a sua formação básica não aparece na grade curricular na forma de uma disciplina específica. Assim, praticamente todos os seus conceitos costumam ser ministrados em Geografia e em História, que são duas áreas do conhecimento que se utilizam dos fatores econômicos.

Portanto, o candidato, ao estudar as noções básicas de economia para o Enem, deve entender como os seus elementos reproduzem-se e interferem nas relações de tempo e espaço, construindo as sociedades em seus campos históricos e em suas organizações socioespaciais. Para entender melhor, vamos analisar duas questões que caíram nas provas do Enem de 2012 e 2013 respectivamente. Elas se referem às modalidades de produção industrial:

Questão do Enem de 2012 com uma imagem da linha de produção fabril
Questão do Enem de 2012 com uma imagem da linha de produção fabril

Questão de economia para o Enem 2013 em que há a comparação de sistemas de produção
Questão de economia para o Enem 2013 em que há a comparação de sistemas de produção

Na primeira questão, há uma imagem de uma linha de produção industrial antiga. Nela,  percebe-se um sistema fabril em que os trabalhadores estão enfileirados, concentrando-se em uma única função ao longo do processo produtivo. Essa dinâmica relaciona-se com o fordismo, que priorizava a alienação do trabalho através de funções repetitivas por parte dos trabalhadores, o que é contemplado pela letra C da questão. 

Já o segundo exercício faz referência implícita ao toyotismo, que desregula, de certa forma, a atividade trabalhista, transferindo os sistemas de funções, descentralizando os serviços e concentrando as ações de controle sobre o trabalho para os resultados obtidos, e não para a produção em si, como ocorria no fordismo. Por isso, a letra E é a correta. 

Não pare agora... Tem mais depois da publicidade ;)

O que podemos notar com os dois exemplos acima é que as questões do Enem sobre economia não prezam somente pelos termos econômicos em si, mas pelas suas relações históricas e sociais, bem como a maneira com que suas dinâmicas transformam a história das sociedades e o espaço geográfico. 

Outro exemplo de como a economia interfere na sociedade é a concentração econômica da região Sudeste do Brasil, que contribuiu para que o espaço geográfico dessa região fosse mais desenvolvido do que as demais, concentrando mais pessoas, rendas e apresentando mais avançados problemas urbanísticos e sociais. 

A nossa recomendação é que o candidato se prepare para o Enem estudando os temas abaixo linkados, sem se esquecer de estar sempre atualizado nas seções de Geografia Econômica e Economia e Finanças do Brasil Escola. 

Sobre o funcionamento do capitalismo e suas estruturas, podemos citar os seguintes assuntos:

Capitalismo financeiro, Divisão Internacional do Trabalho, Economia de aglomeração, emprego informal, Empresas transnacionais, industrialização das sociedades, modalidades de produção industrial, taylorismo e fordismo, toyotismo, liberalismo econômico, neoliberalismo, lei da oferta e da procura e economia informal

Mas alguns conceitos básicos também são importantes:

População Economicamente Ativa (PEA), PIB, setores da economia, agronegócio, comércio, bolsa de valores, câmbio, depressão econômica, guerra fiscal, inflação, tipos de indústrias, tipos de industrialização, trabalho na Terceira Revolução Industrial e economias de aglomeração.

Também é preciso compreender alguns processos atuais e passados no Brasil e no Mundo:

Países industrializados subdesenvolvidos, industrialização do Brasil, o início da industrialização brasileira, Mercantilismo, Primeira Revolução Industrial, Segunda Revolução Industrial, Terceira Revolução Industrial, crise de 1929, reestruturação produtiva, Economia do Brasil e economia da América Latina.

Por hoje, é só. Bons estudos e até a nossa próxima dica!

  • Relacionados
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Enem Brasil Escola