Como não ferir os direitos humanos na redação do Enem

É importante observar se, na redação do Enem, há incitação ao ódio, preconceito ou crime.

A redação é uma das provas mais importantes do Enem e a sua nota, estudante, pode fazer a diferença entre a aprovação e a reprovação no vestibular ou SiSU. Para conseguir nota 1000 na redação do Enem é necessário atender a alguns requisitos, entre os quais não ferir os direitos humanos. 

Primeiro, você precisa saber como é a redação do Enem: você recebe um tema, que geralmente é uma questão problema, e textos motivadores. Em seguida, tem que dissertar sobre o assunto, lançando, ao final, uma proposta de intervenção para solucionar o referido problema. 

Veja também: 10 dicas para a redação do Enem

O seu texto será corrigido pelo corretor, que levará em conta as cinco competências avaliadas na redação do Enem. O respeito aos direitos humanos faz parte da competência nº 5: 

“Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos”.

De acordo com o Manual de Redação do Enem, quando o participante apresenta a sua proposta de intervenção, deve respeitar os direitos humanos, ou seja, não romper com os valores de cidadania, liberdade, solidariedade e diversidade cultural.

Até o Enem 2016, desrespeitar os direitos humanos era um dos motivos que zeravam e anulavam a redação do Enem. Às vésperas da aplicação do exame, em decisão polêmica, o Superior Tribunal Federal (STF) manteve liminar do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1) que impedia a redação ser zerada por esse motivo. 

Como não ferir os direitos humanos?

Desrespeitar os direitos humanos não pode mais zerar a redação do Enem, porém quem comete esse deslize continua perdendo pontos.

Ao longo do texto, é fundamental respeitar a identidade de cada indivíduo e as diferenças entre raças, sexos, gênero, cultura etc. Você deve entender que o cidadão possui direitos e deveres e isso deve ser considerado de forma igualitária.

Então, para evitar comprometer sua nota, a recomendação é que revise seu texto e analise, cuidadosamente, se sua proposta incita ódio, preconceito ou crime. Se sim, altere seus argumentos quanto antes. 

Confira dicas para não ferir os direitos humanos:

    • Respeite a identidade de cada pessoa
    • Considere que cada um tem sua raça, sexo e cultura
    • Tenha tolerância com as diferenças entre os indivíduos
    • Entenda que cada pessoa tem seus direitos e deveres
    • Revise sua redação de forma crítica

Exemplos 

Durante a produção da redação do Enem, alguns participantes podem se exaltar e expressar pensamentos muitas vezes extremistas e que podem ferir os direitos humanos. 

Confira alguns exemplos do que não escrever:

    • “Ser massacrado na cadeia”
    • “Fazer sofrer da mesma forma que a pessoa que cometeu o crime”
    • “As mulheres fazerem justiça com as próprias mãos”
    • “Acabar com esses bandidos”
    • “Acabar com a liberdade de expressão”.
    • “O caminho certo que se tem a tomar é acabar com todas as religiões”.
    • “O governo deveria punir e banir essas outras “crenças”, que não sejam referentes a Bíblia”

O que mais pode prejudicar?

Além dos direitos humanos, é necessário ficar atento a outros itens. Veja alguns:

    • Não fugir ao tema
    • Ter domínio da língua portuguesa
    • Atender à estrutura do texto dissertativo-argumentativo
    • Mostrar coerência textual na redação do Enem


Fonte: Brasil Escola - https://vestibular.brasilescola.uol.com.br/enem/como-nao-ferir-os-direitos-humanos-na-redacao-enem.htm