Topo
pesquisar
Em 25/08/2015 16h41

As opções de cursos para quem gosta de Ciências Sociais Aplicadas

Orientação Vocacional

O estudante das Ciências Sociais Aplicadas precisa estar em constante atualização. Por Lorraine Vilela Campos
PUBLICIDADE

Os estudantes são expostos a diversas disciplinas durante toda a vida escolar. No entanto, é comum que haja uma maior identificação ou habilidade em determinadas áreas do conhecimento, fator que é considerado por grande parte dos alunos no momento da escolha de sua profissão. Caso goste de Língua Portuguesa, Redação, História, Geografia, Sociologia e Filosofia, uma boa opção é conhecer os cursos da área de Humanas. 

A área de Humanas se divide em Ciências Humanas e Sociais e Ciências Sociais aplicadas. Entre as características do estudante está o gosto pela leitura e escrita, para se manter informado sobre assuntos que envolvem política, economia, comportamento, entre outros.

Neste guia o Brasil Escola apresenta para você as principais profissões da área de Ciências Sociais Aplicadas. Se você está em dúvida em qual curso escolher, confira as características de algumas graduações. As demais podem ser conferidas no Canal Guia de Profissões.

Jornalismo

O jornalista atua em todos os veículos de comunicação, como rádio, TV, impresso e internet, além da assessoria comunicação e imprensa. Caraterísticas como versatilidade, proatividade, hábito de leitura e pesquisa, capacidade de improvisação e comunicação são necessárias para esse profissional. Por isso, se você não gosta de ler, escrever e buscar se manter informado, o Jornalismo não é sua área. 

As disciplinas vistas pelos estudantes de Jornalismo visam formar um profissional preparado para a prática, mas também despertar no futuro jornalista a sua função social e a importância de seu trabalho para a sociedade. As grades costumam ser compostas por Teorias da Comunicação, Língua Portuguesa, Sociologia, Ética, Jornalismo Impresso, Telejornalismo, Webjornalismo, Radiojornalismo, Assessoria de Comunicação, Pesquisa Mercadológica e de Opinião, Pesquisa Científica, Comunicação e Cidadania etc.

O mercado de trabalho nos últimos anos tem sido difícil em jornais e emissoras de televisão e rádio, mas cresce a demanda por bons profissionais em webjornalismo e comunicação empresarial. 

Publicidade e Propaganda

A Publicidade exige do estudante, desde os primeiros meses de faculdade, o exercício da criatividade. Esse profissional não pode ter preguiça de pesquisar, conhecer as características de seu público, assim como deve estar aberto para novas ideias. O curso proporciona ao aluno a base para diversos setores de atuação, inclusive no estímulo ao empreendedorismo. 

O publicitário pode trabalhar com pesquisa de opinião e mercadológica (utilizada para traçar perfis de consumo, relação de determinada marca com seu público etc), marketing, produção, redação e edição de textos e peças publicitárias para rádio, TV, web e impresso (jornais, revistas e folders), assim com a elaboração de roteiros de propagandas para todos os meios de comunicação. 

Relações internacionais

O profissional de Relações Internacionais deve entender sobre política, cultura, economia e direito, tanto do seu país de origem quanto dos países com os quais mantém relações. O perfil envolve empreendedorismo, poder de negociação e diplomacia, já que o relações internacionais está envolvido diretamente na negociação de empresas e governos estrangeiros. Dominar outros idiomas é mais que fundamental. 

A grade curricular do curso de Relações Internacionais é ampla e muito teórica, a qual é composta por temas como Política (no âmbito nacional e internacional), Economia, Antropologia, Geopolítica, Sociologia, Direito Internacional e Filosofia.

O mercado de trabalho inclui empresas privadas, com maior foco na importação e exportação, no qual o profissional pode atuar inclusive como analista internacional, organizações governamentais e não-governamentais (ONGs), cujas principais e mais renomadas são a Organização das Nações Unidas (ONU) e a Organização das Nações Unidas Para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), além de consulados, ministérios e embaixadas. 

Direito

O curso de Direito exige do estudante gosto pela leitura e pesquisa, domínio da língua portuguesa, foco, entendimento das relações sociais, senso crítico e esforço. Os livros da área assustam pela quantidade de informações, por isso, quem pensa em fazer Direito só para agradar os pais ou ser chamado de doutor, com certeza, vai se arrepender. Parece clichê, mas o bacharel em Direito precisa amar a área, caso contrário será apenas mais um entre os milhares que se formam todo semestre nas centenas de faculdades de Direito espalhadas pelo Brasil.

Ao longo do curso, o estudante tem contato com as grandes áreas do Direito (Administrativo, Civil, Constitucional, do Trabalho, Empresarial, Penal e Tributário), além das áreas mais específicas, como Direito Ambiental, Direito do Consumidor, Direito Eleitoral, Direito Desportivo, Direito Internacional, entre outras. 

O profissional de Direito pode atuar como Advogado, Procurador, Auditor, Defensor Público, Delegado, Juiz, Desembargador, entre outras profissões. Muitas delas exigem a carteira da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), que se consegue passando em um exame que não é nada fácil para quem vacilou na faculdade. Atualmente, a maior parte dos bacharéis em Direito se dedica aos concursos públicos.

Administração

O administrador é um líder, responsável pelo gerenciamento dos recursos humanos, financeiros e materiais de uma instituição. Seu papel é de extrema importância para o bom funcionamento de uma organização e pelos resultados que as ações de seus colaboradores desempenham. O estudante de Administração deve ser proativo, bom ouvinte, coletivo, exercer a liderança e saber lidar com a concorrência. 

A graduação pode ser encontrada simplesmente como Administração ou Administração de Empresas e Administração Pública. O que difere a Administração de Empresas com a Pública é que a primeira é voltada para instituições privadas e do terceiro setor, enquanto a última administra bens públicos. 

A grade curricular do curso varia conforme a instituição, pois algumas possuem matriz comum aos dois cursos até metade da graduação e, a partir desse momento, os estudantes optam pela habilitação que desejam. As disciplinas envolvem Introdução à Administração, Escolas da Administração, Economia, Estatística, matérias ligadas à Gestão, Matemática Financeira, entre outros. 

Ciências Contábeis

O profissional de Ciências Contábeis é fundamental nas empresas, pois seu objeto de trabalho é a contabilidade, o que envolve os gastos, lucros e prejuízos de seu empregador. Sua função compreende a análise de dados financeiros e tributários, mensuração prospecção de receitas e análise do perfil da organização.

Estão entre as disciplinas do curso estão Estatística, Contabilidade, Economia (introdução e outras variações), Matemática Financeira, Antropologia, Administração Financeira e Orçamentária (assim como outras modalidades de Administração), entre outros.

O aluno de Contabilidade precisa ter empenho e curiosidade em estudar a economia e política, além de buscar noções sobre Administração. A área oferece ao profissional trabalhos com consultorias ou até mesmo o emprego fixo no setor financeiro de empresas. 

Economia ou Ciências Econômicas 

A graduação de Economia pode ser enquadrada tanto na área de Humanas quanto Exatas. O que vai definir isso é a ênfase do curso. A graduação é de Humanas quando o foco é a abordagem holística das Ciências Econômicas, ou seja, o economista precisa entender aspectos políticos, sociais e comportamentais de um determinado país ou região, para tomar medidas econômicas e fechar negócios. Quando pertencente a área de Exatas, o curso é mais focado nas finanças, nos números e cálculos matemáticos.

Considerando esses aspectos, a graduação exige do aluno uma visão multidisciplinar. Quem pensa em fazer Economia não pode ter preguiça de conhecer os aspectos econômicos, políticos e sociais de uma região, assim como deve ter habilidade com a matemática.

A grade curricular do curso de Ciências Econômicas conta com disciplinas como História do Pensamento Econômico; História da Economia; Economia Industrial, Internacional, Política, do Setor Público, no Brasil, além de outras áreas do conhecimento. 

O economista precisa ser capaz de analisar o cenário nacional e, às vezes, internacional, e medir os impactos da Economia nas finanças e empreendimentos de diversos tipos de organizações e instituições. O mercado de trabalho para o profissional de Economia engloba empresas privadas, organizações do terceiro setor, indústria e órgãos públicos. 

PUBLICIDADE
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola