Brasileiros estão cada vez mais interessados em graduação no exterior, diz pesquisa

Divulgada nesta semana, Pesquisa Selo Belta 2017 foi realizada entre março e maio e contou com 1.145 respondentes

A Pesquisa Selo Belta 2017, sobre o mercado de intercâmbio nacional no ano de 2016, foi divulgada esta semana. Realizada entre março e maio, a pesquisa contou com 1.145 respondentes, dentre eles, 43,5% eram estudantes que já tiveram uma experiência de viagem educacional, e os demais planejam partir em breve. 

Segundo os resultados da pesquisa, que foi novamente encomendada pela BeltaBrazilian Educational & Language Travel Association e realizada pelo Grupo de Pesquisa Mobilidade Acadêmica, aumentou o número de brasileiros interessados em cursar uma graduação no exterior. Em 2016, 25,5% dos intercambistas respondentes estudaram um bacharelado em outro país. E a média de interessados em cursos de duração de no mínimo 12 meses cresceu 6,7%.

As 106 agências de intercâmbio que participaram da pesquisa, responsáveis por 618 pontos de vendas por todo o Brasil, identificaram que de 12ª, a graduação no exterior passou para 10ª entre os produtos mais procurados pelos seus clientes.

Cursos de idioma

Mesmo assim, os vencedores ainda são os cursos de idioma. Entre os que já realizaram o intercâmbio, 39,2% estudaram uma segunda língua no exterior, principalmente o inglês (88,5%) e o espanhol (6%). 

No entanto, dos que ainda querem ir, 33,9% procuram por um curso de idioma que inclua um trabalho temporário. Por isso, os países que permitem que estrangeiros trabalhem com um visto de estudante continuam a atrair cada vez mais intercambistas.

Destinos de estudos mais populares

O Canadá ainda é o país mais procurado pelos estudantes brasileiros, aparecendo pela segunda vez consecutiva em primeiro lugar, com 20,9% de preferência. De fato, os destinos de estudo mais populares são os mesmos de 2015: Canadá, Estados Unidos, Reino Unido, Nova Zelândia, Irlanda e Austrália.

Os prováveis motivos para a atração pelo Canadá são câmbio favorável, custo de vida mais acessível, localização do país, população multicultural e, principalmente, qualidade de vida – fator apontado na pesquisa como o principal influenciador na hora de escolher o destino de estudo.

Crescimento no mercado de intercâmbio nacional

Um dos dados mais importantes identificados pela pesquisa foi o aumento de 12% na média de produtos comercializados em 2016 por agências, franqueados, gerentes e donos ou representantes de marcas de intercâmbio.

No total, foram movimentados R$ 2,2 bilhões pelo setor de intercâmbio no Brasil no ano passado. Além disso, os estudantes brasileiros estão dispostos a investir mais na experiência: em média R$ 27.864, um número 82% maior do que em 2015.

Outros dados interessantes da Pesquisa Selo Belta 2017


Fonte: Brasil Escola - http://vestibular.brasilescola.uol.com.br/estudar-no-exterior/brasileiros-estao-cada-vez-mais-interessados-graduacao-no-exterior.htm