Calouros do ITA contam como conseguiram passar no vestibular mais difícil do Brasil

Processo seletivo é considerado um dos mais rigorosos do país, devido à complexidade das provas.

Qualidade de ensino, oportunidades de estágios, aproximação com o mercado de trabalho, formação de profissionais diferenciados e o desafio de estudar na melhor faculdade de engenharia do país: esses são apenas alguns dos fatores que motivam, todos os anos, mais de 10 mil estudantes de diferentes regiões brasileiras a se preparar para o vestibular do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

Situado na cidade paulista de São José dos Campos, o ITA é ligado ao Comando da Aeronáutica (COMAER) e possui um dos processos seletivos mais difíceis do país. Isso porque, além de oferecer pouco mais de 100 vagas por ano, o que resulta em uma concorrência superior a 110 candidatos por vaga, sua prova possui um formato particular que contempla questões de múltipla escolha e dissertativas de apenas cinco disciplinas: física, português, inglês, matemática e química, que devem ser respondidas em quatro dias.

Amanda estudava em três períodos

A fortalezense Amanda Zíngara, de 21 anos, passou por essa maratona de provas e foi uma das aprovadas no último vestibular do ITA. Apesar de gostar de matemática desde pequena e de ter participado de várias olimpíadas na área de exatas nos ensinos fundamental e médio, ela considera como muito alto o nível de dificuldade da seleção. “Além de conhecimento dos vestibulandos, a prova exige muito preparo psicológico, criatividade na resolução de questões e organização”, pontua a recém-aprovada para o curso de Engenharia Aeroespacial.

O calouro de Engenharia Eletrônica, Lucas Lenzi Alves, 20 anos, não tem dúvidas de que o ITA é o vestibular mais difícil do país. Para ele, as questões assustam os alunos iniciantes devido à sua complexidade. “O conteúdo cobrado não é o comum do ensino médio, ao contrário de outras faculdades. É necessário primeiro aprender o básico muito bem para depois aprender o específico”, recomenda. 

Rotina de estudos

Independente do método adotado, uma coisa é certa: dedicação e preparação não faltam para os vestibulandos do ITA. Quase todos investem em uma árdua rotina de estudos e chegam a estudar até 15 horas por dia, de segunda a segunda, para garantir a tão sonhada aprovação. É o caso da Amanda, que além de ter aula no cursinho pela manhã e à tarde, ainda ia para a biblioteca, onde permanecia até 21h ou 22h, e participava de um grupo de estudos em alguns dias da semana. “Nós nos ajudávamos com dúvidas e questões e, no segundo semestre, resolvíamos provas antigas. Isso também foi essencial”, conta.

Lucas investiu em simulados

Para Lucas, a rotina de estudos foi a parte mais difícil. Ele conta que começou a se preparar para o ITA em 2014 e que sua rotina se manteve praticamente a mesma por três anos: acordava por volta das 7h, estudava até as 12h, almoçava e ia para o cursinho em seguida, onde permanecia até as 19h ou 21h. Apesar de voltar para casa logo após o término das aulas, ele só parava para jantar e retomava os estudos, que seguiam até meia-noite. Aos sábados, as aulas aconteciam somente pela manhã, mas os estudos se prolongavam até as 22h.

O futuro engenheiro eletrônico revela que aprendia a teoria durante as aulas e, em casa, fazia o máximo de exercícios da matéria abordada. Já para compreender o estilo das questões, ele investiu nos simulados e nas resoluções de provas. “No último mês do ano, eu fazia os últimos 15 anos de provas do ITA. Isso era essencial para compreender o vestibular”, revela. 

O goiano Matheus Gondim, de 20 anos, um dos aprovados no Vestibular 2017 do ITA para o curso de Engenharia Mecânica, também lembra que estudava muito, cerca de 6 a 8 horas por dia além das aulas do cursinho. Para ele, o planejamento dos horários de estudos e a definição de metas serviram como estímulo para resolver muitos exercícios e ampliar seu interesse pelos estudos.

Estudos X Lazer

Apesar de a preparação ser o foco dos vestibulandos do ITA, grande parte acredita que é possível garantir uma aprovação no vestibular sem abdicar de festas, namoro e demais atividades de lazer. Amanda, por exemplo, começou a namorar em 2016 e considera que o relacionamento a ajudou muito. “O contato com pessoas que você gosta ajuda a manter a mente bem e tranquila. Meu namorado me apoiava, estudava comigo e me ajudava nos momentos de cansaço, quando dá vontade de desistir”, conta.

Ela também frequentou uma academia no primeiro semestre, mas optou por suspender os exercícios físicos nos meses que antecederam às provas. Já em relação às festas, Amanda confessa que precisou abdicar de algumas. “Nas férias ou no meio do ano dá para ir em algumas e distrair, mas ir em muitas festas durante os estudos pode atrapalhar. Familiares e amigos também precisam estar conscientes da sua ausência na maioria dos eventos, mas se afastar completamente de todos é prejudicial. Precisa saber equilibrar”, comenta.

Lucas também é defensor do equilíbrio, tanto que optou por reservar os domingos para o descanso, enquanto muitos dos seus amigos estudavam o dia todo. “O estudante precisa saber que os estudos são prioridade. Festas, por exemplo, são bem mais raras, mas não é necessário eliminá-las. É importante manter algumas atividades de lazer, atividade física, sair com os amigos, ver um filme, jogar”, reforça. Para ele, saber conciliar saúde mental, saúde física e conhecimento é determinante para garantir a aprovação em um vestibular.

Matheus vai cursar Engenharia Mecânica no ITA

Dicas de quem foi aprovado

Os três calouros são enfáticos na primeira dica: estude e muito. Por outro lado, Amanda não deixa de reiterar a importância de estar psicologicamente bem. Para ela, aproximar de colegas que também estão na disputa por uma vaga no ITA e formar grupos de estudos é uma boa alternativa. “Um ajuda o outro com as dúvidas e apoia os outros nos momentos de cansaço, que são muitos”, conta. A estudante recomenda, ainda, conversar com alunos do Instituto para “aumentar a vontade de estar lá” e contar com o apoio e incentivo dos professores.

Matheus também concorda sobre o contato com os professores e considera esta uma ferramenta importante para saber o rumo que os estudos devem tomar. Ele reforça, ainda, que é preciso fazer sempre mais que o necessário e cobrar o seu melhor. Já Lucas lembra dos sacrifícios, que valem a pena e são necessários para a aprovação, segundo ele. “Se esse é o sonho, corra atrás. Uma frase que sempre ouvimos nessa busca é: Quem passa no ITA não é aquele que não tropeça, mas aquele que se levanta logo depois e continua a caminhar”, finaliza.

Veja as dicas dadas pelos estudantes para passar no ITA:

1. Estude muito 
2. Aproxime-se de colegas que também estão tentando o vestibular
3. Forme grupo de estudos
4. Recorra aos professores
5. Converse com alunos do ITA
6. Frequente a biblioteca da sua escola ou cursinho
7. Pratique atividades físicas
8. Resolva provas antigas e participe de simulados
9. Descanse
10. Mantenha o equilíbrio entre estudo e lazer
11. Planeje horários e metas de estudo
12. Não desista


Fonte: Brasil Escola - http://vestibular.brasilescola.uol.com.br/noticias/calouros-ita-contam-como-conseguiram-passar-no-vestibular-mais/338783.html