Topo
pesquisar
Em 12/04/2017 16h54, atualizado em 12/04/2017 16h56

Engenharia Aeroespacial

Guia de Profissões

Engenheiro aeroespacial é responsável pelo desenvolvimento de veículos espaciais, como foguetes Por Lorraine Vilela Campos
O foguete é uma das naves espaciais desenvolvidas por engenheiros aeroespaciais
O foguete é uma das naves espaciais desenvolvidas por engenheiros aeroespaciais
PUBLICIDADE

A Engenharia Aeroespacial surgiu da necessidade de formar profissionais com conhecimentos avançados e interdisciplinares, reunindo as especificidades de outras engenharias em uma só, para o desenvolvimento, fabricação e manutenção de foguetes, aviões, sondas espaciais e outros equipamentos que permitem ao ser humano explorar o céu e o espaço. 

No Brasil, a primeira instituição que ofereceu o curso de Engenharia Aeroespacial foi a Universidade Federal do ABC (UFABC), em São Paulo, em 2010. No mesmo ano, o Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) passou a oferecer a graduação entre suas engenharias. 

Além das duas instituições, as universidades federais de Brasília (UnB), Minas Gerais (UFMG), Santa Catarina (UFSC) e Santa Maria (UFSM) também oferecem o curso de Engenharia Espacial. A oferta ainda é pequena por se tratar de uma graduação relativamente nova no Brasil.

O curso 

O curso de Engenharia Aeroespacial tem duração de cinco anos, divididos em dez semestres letivos. O ingresso pode ser feito por vestibular ou com as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), pelo Sistema de Seleção Unificada (SiSU). 

Os primeiros anos do curso são amplos, com matérias comuns a outras engenharias. Nesta etapa, os estudantes contam com aulas de Matemática, Física e Química, além do estudo de um pouco da área de humanidades. Após este período, o aluno se aprofunda especificamente nas matérias ligadas à Engenharia Aeroespacial. 

Entre as disciplinas específicas do curso estão Aerodinâmica, Propulsão, Termodinâmica, Sistemas de Controle, Estruturas e Materiais, Química Experimental, Introdução à Ciência da Computação, Desenho Industrial entre outras. 

Outros dois pontos importantes para o estudante são o estágio curricular, o qual aproxima o aluno da realidade do mercado de trabalho. Ao estagiar, o futuro engenheiro pode desempenhar funções que envolvem a participação nos processos de projeção, desenvolvimento e teste de aviões, satélites e foguetes, por exemplo. 

Engenharia Aeroespacial X Engenharia Aeronáutica

A Engenharia Aeronáutica é um curso oferecido há mais tempo no mundo todo, profissão que teve sua ascensão nos períodos de guerra, por conta da necessidade de equipes qualificadas para a construção de aviões para as forças armadas. 

No Brasil, o ITA é referência na oferta da Engenharia Aeronáutica, curso que contemplou por muitos anos os conceitos da Engenharia Aeroespacial. Posteriormente, eles foram separados para possibilitar aos estudantes um aprofundamento de forma específica em cada área. 

A Engenharia Aeroespacial forma profissionais mais voltados para todo o processo que envolve a projeção e a construção de veículos que serão utilizados fora da atmosfera, como os foguetes. No entanto, aviões também são material de trabalho do engenheiro aeroespacial. 

A Engenharia Aeronáutica é menos ampla que a Aeroespacial e prepara o profissional para o trabalho com veículos que transitam dentro da atmosfera, como aviões. 

Mercado de Trabalho

Mesmo sendo uma profissão nova no Brasil, o engenheiro aeroespacial tem um futuro promissor, já que pode atuar em empresas privadas e públicas, indústrias e agências espaciais. No Brasil, locais como a Embraer e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) estão entre as mais disputadas. Nos Estados Unidos, por exemplo, a National Aeronautics and Space Administration (NASA) é o sonho de muitos profissionais. 

A indústria automobilística e o ramo de pesquisas também empregam profissionais de Engenharia Aeroespacial. Com o ramo automotivo, o engenheiro auxilia no que se refere à aerodinâmica, aos projetos para os automóveis e testes de desempenho, aplicando conceitos de física e informática em seu cotidiano. 

Como pesquisador, o engenheiro aeroespacial estuda o espaço, as espaçonaves, sondas, foguetes e sistemas necessários para que possam ser utilizados pelos países. O profissional pesquisa novidades na área, melhores estratégias, riscos e potenciais, além de outros pontos. 

Onde fazer

Região Centro-Oeste
Distrito Federal: UnB (Brasília)

Região Sudeste
São Paulo: UFABC (Santo André), ITA (São José dos Campos)
Minas Gerais: UFMG (Belo Horizonte)

Região Sul
Santa Catarina: UFSC (Joinville)
Rio Grande do Sul: UFSM (Santa Maria)

PUBLICIDADE
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola