Topo
pesquisar
Em 30/01/2012 17h27

As diferenças de sotaques em inglês

Estudar no Exterior

Assim como o português, o idioma inglês tem vários sotaques ao redor do mundo. Por Hotcourses Brasil
PUBLICIDADE

O inglês é a língua universal. Estima-se que o número de pessoas que falam o idioma como segunda língua pode ultrapassar um bilhão (dependendo da fluência). Surgido na Grã-Bretanha na Idade Média, o inglês espalhou-se pelo mundo e é falado oficialmente em 55 países. Não é de se admirar que o idioma tenha diversa variações, sejam elas na gramática, ortografia e, principalmente, no sotaque.

É fácil compreender o porquê, basta comparar com o português de Portugal e o nosso: os sotaques são completamente diferentes, além de algumas palavras do vocabulário deles não serem usadas aqui. E mesmo dentro do Brasil o português tem suas variantes: no Sul, a fala é mais “cantada”; na região do interior de São Paulo, o “r” é mais “puxado” (o sotaque chamado de caipira); no Nordeste, algumas palavras ganham uma entonação diferente do resto do país, como o “pór que”. Os sotaques variam de acordo com a colonização. O caipira do interior de São Paulo, por exemplo, se deu pela colonização americana da região. Os “s” e “r” do Rio de Janeiro são resquícios do sotaque lusitano. Os exemplos são inúmeros.

O mesmo acontece com o inglês. A diferença na pronúncia entre os países que tem o inglês como língua oficial é bastante marcante. Nos Estados Unidos, o inglês tem sons mais abertos, os “r” são puxados, e os “t” soam como “r” (como em better, por exemplo, que é pronunciado como “berer”). Já no britânico, o “t” é pronunciado como “t”, porém os finais de palavras em “er” soam como “a”. Dessa forma, o better é falado quase como “béttar”. Outra palavra que demonstra a diferença entre eles é can’t: nos EUA vira “ken’t” e no Reino Unido “cân’t”. A pronúncia em outros países como Irlanda, África do Sul, Escócia, Austrália, entre muitos outros países, também se diferenciam. E além do sotaque, tem ainda as abreviações, dialetos e gírias peculiares de cada país.

Uma forma interessante de notar a diferença nos sotaques é assistir a filmes americanos e britânicos e comparar a pronúncia (a série de Harry Potter - ou “Potta”, no inglês britânico – é uma boa opção, inteira filmada na Grã-Bretanha). As adaptações cinematográficas das obras da autora Jane Austen - “Orgulho e Preconceito” e “Razão e Sensibilidade” - são também ótimas referências dos sotaques britânicos.

O sotaque varia muito entre os estados e regiões em cada país. O mais famoso dos Estados Unidos, acredito, é o texano (o caipira norte-americano). Na Inglaterra, é possível identificar se a pessoa teve uma boa educação (e inevitavelmente uma boa condição financeira) pelo sotaque – diferente do que acontece no Brasil, onde a diferença é, quase sempre, indicada pelo vocabulário. São os sotaques chamados de posh*. Os poshes pronunciam as palavras claramente, é um inglês, vamos dizer, “limpo”, bem mais fácil de entender, além de soar elegante e refinado, sem muitas gírias. Ouça a duquesa Katherin Middleton falando e você vai entender perfeitamente o que estou querendo dizer. Já na contra-mão existem os chavs** que usam muitas gírias e contrações: “y'awright” para how are you, “'wicked” para good, e “innit” para isn’t it. Contra a vontade de muita gente, o “innit” entrou inclusive oficialmente para o dicionário.

O britânico é comumente descrito como mais elegante, apesar de o americano se utilizar muito mais do “old english” (antigas expressões e palavras). Como exemplo os americanos usam a palavra “fall” para dizer outono enquanto o britânico usa “autumn”. O britânico com o passar dos anos deu uma modernizada na língua.

É por essas e outras que fazer um curso de inglês no exterior é a maneira mais rápida e fácil de aprender o idioma, com a vantagem de ao escolher o país de destino, você escolhe também o sotaque que irá aprender. Além disso, aprender inglês no exterior, muitas vezes, custa bem menos do que no Brasil e você pode praticá-lo diariamente em cada detalhe da sua rotina em outro país.

Em dúvidas sobre onde estudar inglês no exterior? Pois então pesquise no maior banco de dados de cursos no exterior no site da Hotcourses Brasil.

Veja este divertido  vídeo no Youtube em que um jovem londrino imita 24 diferentes sotaques do inglês para você conhecer um pouco mais da diversidade deste idioma.


*Posh - há algumas traduções para esta palavra: bacana, alta classe, refinado, entre outras. Talk posh é descrito como to talk in a upper-class way, ou seja, falar de uma forma refinada.
**Chav – é preciso cuidado com o emprego desta palavra, que pode ser considerada ofensiva na Grã-Bretanha. É usada, principalmente por jornais, como um estereótipo, para se referir a jovens da classe trabalhadora que são rudes e agressivos, com um nível baixo de educação, e vestem-se de forma semelhante entre si, com roupas esportivas, moletons, e bonés.

Por Brenda Bellani

PUBLICIDADE
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola