Topo
pesquisar
Em 17/05/2017 10h32

4 dicas essenciais para quem quer estudar no exterior

Estudar no Exterior

A melhor forma de tomar as decisões adequadas é pesquisando e se informando o máximo possível sobre a experiência de estudar no exterior. Por Hotcourses Brasil
PUBLICIDADE

Entendemos que às vezes o sonho de estudar no exterior parece distante e inatingível. Mas esta não é a realidade! Com uma imensidão de opções e possibilidades, o que você precisa é seguir os passos certos, de acordo com os seus objetivos e qualificações, considerando o seu desempenho escolar, orçamento, talentos e pontos fracos também.

A melhor forma de tomar as decisões adequadas é pesquisando e se informando o máximo possível sobre a experiência de estudar no exterior. Quanto mais você aprende, maiores as chances de conseguir ser admitido no exterior, porque você saberá exatamente o que fazer.

Para que você consiga dar início à sua pesquisa, listamos a seguir cinco dicas essenciais para quem quer estudar no exterior!

1. Analise todas as opções de destino de estudo antes de se decidir

Alguns países se destacam quando o assunto é educação internacional, como Estados Unidos e Reino Unido. Com certeza, eles têm realmente muito a oferecer a todos os estudantes estrangeiro. Mas será que eles são a opção certa para você? Estes dois destinos, por exemplo, têm os cursos mais renomados de graduação do mundo, no entanto, as leis de imigração do país são bem mais rígidas em relação a trabalhar durante os estudos. De fato, destinos como Irlanda e Austrália têm regras mais brandas, e os estudantes internacionais podem exercer diferentes funções no país por 20 horas semanais, mesmo matriculados em cursos de inglês (não acadêmicos).

Outro destino que tem crescido muito em popularidade é o Canadá, por diversas razões. Além de oferecer mais possibilidades de ganhar experiência profissional durante e depois dos estudos no país, o dólar canadense é mais barato do que o dólar americano, euro e libra. Já na Alemanha, todas as graduações são gratuitas até mesmo para estrangeiros, mas, mesmo que suas universidades ofereçam mais de 800 cursos lecionados em inglês, é possível que você precise de um nível mínimo de fluência no alemão.

É importante considerar também o clima e a cultura do país, dois fatores que influenciarão bastante a sua experiência. Tenha em mente na hora de planejar a data dos seus estudos no exterior que o Hemisfério Norte tem as estações do ano ao contrário das nossas. Se você prefere o calor e o seu curso for de curta duração, melhor optar por uma data entre maio e agosto, meses da primavera e verão. 

O Canadá, principalmente suas provinciais mais ao norte, tem um inverso rigoroso com temperaturas bem a menos de zero e grandes nevascas; os estados mais ao sul dos Estados Unidos têm verões tão ou mais quentes do que o brasileiro. Se a sua intenção é estudar na Ásia, é vital estudar minuciosamente sobre a cultura, costumes e culinária do país antes de se mudar, porque são extremamente diferentes dos do Ocidente, o que, no geral, proporciona uma experiência incrível e enriquecedora de aprendizados.

2. Analise suas opções de universidades e faculdades antes de se inscrever

Quando pensamos em universidades internacionais, alguns nomes imediatamente surgem à mente: Harfard, Stanford, Yale, MIT, Oxford, Cambridge... Estas e outras estão sempre entre as melhores instituições de ensino superior do mundo. Por este motivo, a concorrência é incrivelmente acirrada e o processo seletivo extremamente exigente. Para ser admitido, você precisará das melhores notas e desempenho (a dica a seguir vai explicar um pouco mais sobre isso). Claro, não queremos desencorajá-los a tentar se inscrever em uma dessas potências universitárias, no entanto, é vital compreender que a admissão em uma universidade no exterior depende de uma série de fatores.

Existe uma variedade infindável de universidades, faculdades e escolas no exterior. O ideal é você encontrar as opções que se enquadrem em seus objetivos e limitações e não o contrário – você tentar se encaixar nos requisitos das universidades, a não ser que você tenha muito tempo para se preparar especificamente para isso. 

Por exemplo, se você ainda não tem uma fluência razoável no inglês no momento da inscrição, não adianta tentar se inscrever em uma graduação que exija uma nota alta de corte no IELTS ou TOEFL se ela não oferecer a opção de admissão condicional. Neste caso, um curso de inglês no exterior pode ser a opção certa para você dar início à sua experiência de estudos no exterior antes de passar para uma graduação. 

Se a sua intenção é fazer uma graduação nos Estados Unidos, mas ainda não tem o desempenho exigido por eles ou então o seu orçamento é mais limitado, talvez uma faculdade comunitária seja a opção mais adequada para você. Os associate degrees oferecidos por elas equivalem aos dois primeiros anos de uma graduação e costumam ser muito mais baratos do que em uma universidade. Além disso, com a conclusão de um curso de uma community college, você pode conseguir uma transferência para o terceiro ano de uma graduação.

Resumidamente: opção é o que não falta, o que você precisa fazer é encontrar aquelas que se encaixam com o seu perfil.

3. Comece a se preparar o quanto antes possível

O processo seletivo no exterior costuma ser diferente do brasileiro. Ele é holístico e isto significa que você precisará de muito mais do que uma note de corte em uma prova para ser admitido, principalmente se você for estrangeiro. Serão necessários documentos, cartas de referência, comprovação de condição financeira, seguro de saúde, prova de proficiência no inglês, carta de motivação e muito mais, dependendo do país, universidade e curso.

Por isso, para graduações, o ideal é ter pelo menos um ano para se preparar antes de dar início à sua inscrição no exterior. Você poderá se organizar melhor; entender cada um dos requisitos da universidade; prestar o IELTS ou o TOEFLS (ou qualquer outro exame obrigatório, como o SAT ou ACT dos EUA); tirar todas as suas dúvidas sobre o processo seletivo; providenciar todos os documentos necessários dentro do prazo final de inscrição (juntamente com a versão oficialmente traduzida de cada um deles, caso necessário).

Outra coisa que você precisará providenciar é o seu histórico escolar no ensino médio, que deve ser emitido diretamente pela sua escola no Brasil. O seu desempenho durante o colegial influenciará diretamente as suas chances de ser admitido no exterior, uma vez que as universidades procuram sempre candidatos esforçados, com boas médias escolares e potencial acadêmico. Por isso, se você conseguir começar a se preparar logo no primeiro ano do colegial, melhor ainda! Caprichar nos estudos e nas suas notas durante o ensino médio aumentará as suas chances de estudar no exterior.

Para as universidades internacionais, traz muitos benefícios ter estudantes estrangeiros em seu corpo discente e, no geral, o multiculturalismo no campus serve como um indicador de qualidade da instituição. Países como Estados Unidos e Reino Unido têm promovido campanhas de incentivo para atrair mais estrangeiros, como é o caso da #YouAreWelcomeHere (Você é bem-vindo aqui), organizada por universidades americanas, e a #WeAreInternational (Nós somos internacionais), por britânicas. Ambas têm o mesmo intuito: mostrar que os estudantes internacionais são muito bem-vindos no país e que elas estão de braços abertos para recebê-los.

Além disso, quanto antes você começar a se preparar, mais você poderá economizar financeiramente para bancar os seus estudos no exterior. O que nos leva à próxima dica!

4. Pesquise opções de bolsas de estudo e ajuda financeira

Não é todo mundo que sabe disso, mas um número enorme de universidades internacionais oferece opções de bolsas de estudo simplesmente por você ser estrangeiro! Ao se inscrever em uma universidade internacional e ser admitido, como estrangeiro, você automaticamente já é avaliado a fim de verificar suas qualificações para receber uma bolsa de estudo, desconto ou ajuda financeira da universidade. Quase sempre não é necessária nenhuma inscrição à parte. 

Para saber se a universidade/faculdade oferece esse tipo de bolsa de estudo, visite sempre a página dedicada aos estudantes internacionais no site oficial da instituição, normalmente chamada de International Students, International Admissions ou simplesmente International. Estas bolsas costumam ser concedidas com base em mérito acadêmico (para estudantes com os melhores desempenhos) ou em necessidade financeira. A universidade pode ainda oferecer outros tipos de bolsas ou financiamentos aos quais você pode se inscrever. Não deixe de pesquisar também a página de bolsas de estudo nos sites oficiais, comumente chamada de Scholarships ou Funding.

Existem bancos de dados online e gratuitos que reúnem todas estas opções de bolsas de estudo em um site só, como é o caso do Hotcourses Brasil. Você pode realizar a sua pesquisa por país, área e nível de estudo.

Há também outros programas gerais de bolsas de estudo oferecidos por organizações externas ou pelo próprio governo do país, como é o caso do Fulbright, para diferentes destinos do mundo, e da Orange Tulip Scholarship, da Holanda.

Dica extra: Fluência no inglês ou em um idioma estrangeiro é SIM essencial

A menos que a sua intenção seja fazer um curso de inglês ou qualquer outro idioma no exterior, você precisa ter uma proficiência mínima na língua estrangeira para ser admitido no exterior, porque as universidades pedem para você comprovar a sua fluência com algum tipo de prova oficialmente aprovada por ela, como é o caso do IELTS e do TOEFL. Nós explicamos mais sobre isso aqui!

Com esses quatro passos mais a sua preparação no inglês, você já terá um ponto de partida sólido e bem informado! Você perceberá que estudar no exterior é totalmente possível, só exige dedicação e persistência. Nós estamos aqui na torcida!

BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola