Topo
pesquisar
Em 20/10/2014 14h44

Proposta de intervenção na redação do Enem

Enem

Muitos candidatos confundem a proposta de intervenção na redação do Enem com uma simples conclusão, esquecendo-se de apresentar soluções viáveis para o problema sugerido. Por Luana Castro Alves Perez
Além da proposta de intervenção, é indispensável que a redação do Enem apresente coesão, coerência e correção gramatical.
Além da proposta de intervenção, é indispensável que a redação do Enem apresente coesão, coerência e correção gramatical.
PUBLICIDADE

Você sabe delimitar as diferenças existentes entre os textos dissertativo e dissertativo-argumentativo? Os dois tipos textuais apresentam características distintas, e entendê-las é fundamental para criar uma boa proposta de intervenção na redação do Enem. Vamos aos estudos?

Na dissertação argumentativa do Enem, o candidato precisa, além de dissertar e apresentar argumentos, defender uma ideia e justificá-la. É preciso também criar uma proposta de intervenção para o problema, ou seja, não basta concluir o texto, é obrigatória a apresentação de soluções viáveis que respeitem os direitos humanos, tópico previsto na matriz de referência do Exame. O grande problema é que a maioria dos estudantes não está habituada à dissertação argumentativa, já que na escola aprendemos que toda redação deve ter começo, meio e fim. Entenda agora como converter a conclusão de seu texto em uma proposta de intervenção.

Intervir significa atuar diretamente, agindo ou decidindo, e emitir, expor opinião. Sendo assim, na proposta de intervenção, é preciso que o candidato apresente soluções exequíveis para o problema. Isso quer dizer que não adianta criar soluções mágicas ou mirabolantes, é preciso que as propostas apresentadas sejam coerentes e viáveis. Para isso, você deverá recorrer a todo conhecimento aprendido na escola nas diversas disciplinas, sempre considerando a diversidade sociocultural. 

A proposta deve estar bem detalhada e apresentar conexão com os argumentos desenvolvidos ao longo do texto. Se você ficar em dúvida no momento de elaborá-la, responda às seguintes perguntas: 

1) O que é possível apresentar como proposta de intervenção na vida social?
2) Como viabilizá-la?

Muitos candidatos acabam utilizando fórmulas desgastadas para concluir o texto, como expressões do tipo “é preciso que a população se conscientize”, ou “é fundamental que a mudança ocorra”, entre outros chavões que não contribuem em nada para a elaboração da proposta de intervenção. É claro que a tomada de consciência é o primeiro passo para a solução de grandes problemas, mas insistir apenas nesse tipo de senso comum não te levará à sonhada nota 1.000. Não se esqueça também de que ser indiferente, utilizando expressões do tipo “não adianta fazermos nada”, “não há soluções para o  problema” ou “infelizmente as coisas nunca vão mudar”, certamente lhe prejudicará, ainda que ao longo do texto você tenha apresentado bons argumentos. Observe abaixo exemplos de propostas de intervenção para a redação do Enem e veja que não basta concluir: é imprescindível intervir. Bons estudos e boa prova!

Exemplos de redações nota 1.000 no Enem

Em 2012, o tema da redação do Enem foi “Movimento imigratório para o Brasil no século XXI”. Observe a proposta sugerida pela candidata Y. R.V.:

Torna-se evidente, portanto, que o país precisa administrar de forma mais consciente a expressiva chegada de imigrantes. Com esse objetivo, além das medidas anteriormente citadas, a criação da "cartilha do imigrante" ajudaria no estabelecimento desses indivíduos, uma vez que eles ficariam cientes de suas possibilidades, sendo papel do governo elaborá-la. Com os imigrantes incrementando não só a cultura como a economia, a reação social de transformação em país do futuro certamente será agilizada. 

Na última edição do Exame Nacional do Ensino Médio, o tema foi “Efeitos da implantação da Lei Seca no Brasil”. Observe a proposta de intervenção da candidata B.C.:

Portanto, a Lei Seca é importante para a redução do número de acidentes de trânsito. Porém, sua efetividade completa só ocorrerá com a mobilização da sociedade. Sendo assim, é preciso que o governo acrescente ao currículo escolar disciplinas como cidadania e segurança no tráfego, além de tornar mais rígidas as punições pelas transgressões e aumentar o número de postos de fiscalização. Ademais, deve-se fazer uma reforma no sistema de transportes públicos, aumentando o número desses nos horários noturnos e nas cidades periféricas. Dessa forma, será possível reduzir o número de mortes no trânsito e chegar a uma sociedade menos individualista.

PUBLICIDADE
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Enem Brasil Escola