Topo
pesquisar
Em 23/03/2015 09h32, atualizado em 23/03/2015 10h07

Fies conta com mais de 196 mil novos contratos em 2015

Notícias

Balanço do MEC mostra, ainda, que o sistema possui um pico de 57 mil acessos simultâneos. Por Lorraine Vilela Campos
PUBLICIDADE

Em balanço parcial divulgado pelo Ministério da Educação (MEC), foram mais de 196 mil novos contratos solicitados junto ao Fundo de Finaciamento Estudantil (Fies), em 2015. Os candidatos que estão dentro deste quantitativo já estão com as vagas reservadas, faltando, apenas, a validação das informações nas instituições de ensino e a contratação do financiamento com os bancos autorizados. 

Para as novas adesões, são priorizados os cursos com nota 5, pontuação máxima na avaliação do MEC, os quais serão totalmente atendidos. Em relação às graduações com notas 3 e 4, serão priorizados aspectos regionais como localidade e cursos que, historicamente, foram menos atendidos. 

Segundo informações do Ministério, o Fies teve um pico de 57 mil acessos simultâneos no sistema, somente nesta edição, contra 10 mil do ano passado, cujos acessos diários registrados foram de 1,2 mil. Neste mês de março, a média de aditamentos diários subiu de 16 mil para 30 mil, com um pico de 88 mil. 

Mudanças no Fies

Entra em vigor, no dia 30 de março, as novas regras para o financiamento estudantil. Serão necessários 450 pontos, no mínimo, na média das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), além de nota superior a zero na Redação. Os estudantes que solicitarem o Fies até 29 deste mês permanecem nos critérios antigos, os quais não exigem pontuação mínima para adesão. O prazo para solicitações e renovações termina em 30 de abril.

O Fies oferece cobertura da mensalidade de cursos em instituições privadas de ensino superior com juros de 3,4% ao ano. O estudante começa a quitar o financiamento 18 meses após o término da graduação. De acordo com o balanço, o programa conta com 1,9 milhão de contratos existentes.

Reajuste de Mensalidades

Para evitar cobranças abusivas que possam comprometer a oferta do Fies e os futuros pagamentos do estudantes, os ministérios da Educação (MEC) e da Justiça vão formar um grupo para analisar as mensalidades cobras pelos cursos superiores financiados pelo Governo Federal. A união é instituida por portaria publicada nesta segunda-feira, 23 de março, no Diário Oficial da União. 

De acordo com o MEC, havendo um limite financeiro para novas contratações, reajustes menores podem proporcionar mais financiamentos. O órgão restringiu o financiamento a reajustes das mensalidades em até 6,4%, o equivalente à inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2014. 

Mais informações pelo site do MEC ou no 0800 616161

Por Lorraine Vilela

PUBLICIDADE
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Enem Brasil Escola