Topo
pesquisar
Em 22/05/2013 14h52

Programa Nacional de Bolsa Permanência

Bolsas de Estudo

Por Adriano Lesme
PUBLICIDADE

Criado em maio de 2013 como complementação da Lei das Cotas, o Programa Nacional de Bolsa Permanência tem o objetivo de viabilizar a permanência de estudantes de baixa renda em instituições federais de ensino superior. Esses estudantes, a maioria cotistas, acabam abandonando o curso para poder trabalhar e/ou por falta de condições financeiras para adquirir os materiais exigidos, como os livros de Direito e Medicina. Com menos evasão, o Governo também espera reduzir os custos com a manutenção de vagas ociosas.

De acordo com o programa, têm direito ao auxílio financeiro os estudantes com renda familiar mensal por pessoa de até 1,5 salário mínimo e que estão matriculados em curso de gradação com média de cinco horas diárias, além de indígenas e quilombolas. A bolsa pode ser usada como o beneficiado bem entender.

O valor da bolsa para os alunos de baixa renda não pode ser menor que o das bolsas científicas, que em 2013 foi de R$ 400. Para os indígenas e quilombolas, o valor mínimo é o dobro, R$ 800. Compete ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) determinar o valor exato da bolsa de cada estudante, após análise dos documentos.

O benefício pode ser concedido até o final do curso, desde que o bolsista consiga o diploma em até dois semestres depois da duração regular do curso. Por exemplo, se a graduação dura quatro anos, o bolsista deve colar grau em até cinco anos.

Para solicitar a bolsa, o interessado deve procurar o órgão ou a Pró-Reitoria responsável pelo Programa na universidade ou instituto federal, preencher o Termo de Compromisso e apresentar os documentos comprobatórios exigidos, como declaração do Imposto de Renda, extratos bancários e outros comprovantes de rendimento. Os indígenas e quilombolas precisam de declaração da Fundação Nacional do Índio (Funai) ou da Fundação Cultural Palmares.

A Bolsa Permanência é acumulável com outras modalidades de bolsas acadêmicas e com auxílios para moradia, transporte, alimentação e creche, criados por atos próprios das instituições federais de ensino superior. Os bolsistas respondem civil e criminalmente pelas informações prestadas, podendo ser denunciados por qualquer pessoa, em caso de irregularidade.

O Programa Nacional de Bolsa Permanência foi criado pela Portaria nº289, de 09 de maio de 2013. Leia aqui as regras completas do programa.

PUBLICIDADE
BANCO DE REDAÇÕES

Elabore sua redação com o tema atual e as publique aqui no banco de redações

Tema

PESQUISA DE FACULDADES
  • SIGA O BRASIL ESCOLA
Educador Brasil Escola