Cadastre-se

Bolsa de estudo no Brasil para estrangeiros

PEC-G oferece bolsas de estudo para jovens de países em desenvolvimento.

Por Adriano Lesme
 


Este texto é direcionado aos milhares de usuários estrangeiros que acessam o Brasil Escola todos os dias, principalmente pelo interesse em estudar no Brasil. A maioria é natural de países africanos que têm o Português como língua oficial, como Angola e Moçambique, mas também é comum que naturais dos demais países sul-americanos busquem a formação superior nas universidades brasileiras.

A maneira mais comum dos estrangeiros conseguirem vaga em universidades brasileiras sem a necessidade do vestibular tradicional ou Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) é através do Programa de Estudantes-Convênio de Graduação (PEC-G) do Ministério da Educação (MEC).

O PEC-G concede bolsas de estudo no Brasil para estrangeiros com idade entre 18 e 23 anos, com ensino médio completo. Os candidatos devem ser cidadãos de países em desenvolvimento com os quais o Brasil mantém acordos educacionais e culturais. Veja abaixo os países participantes do PEC-G:

África: África do Sul, Angola, Argélia, Benin, Cabo Verde, Camarões, Costa do Marfim, Egito, Gabão, Gana, Mali, Marrocos, Moçambique, Namíbia, Nigéria, Quênia, República do Congo, República Democrática do Congo, São Tomé e Príncipe, Senegal, Tanzânia, Togo e Tunísia.

América do Norte e Central: Antígua e Barbuda, Barbados, Costa Rica, Cuba, El Salvador, Guatemala, Haiti, Honduras, Jamaica, México, Nicarágua, Panamá, República Dominicana e Trinidad e Tobago.

América do Sul: Argentina, Bolívia, Colômbia, Chile, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname, Venezuela e Uruguai.

Ásia: China, Índia, Líbano, Paquistão, Síria, Tailândia e Timor Leste.

O interessado deve provar que é capaz de custear suas despesas no Brasil, ter certificado de conclusão do ensino médio ou curso equivalente e proficiência em língua portuguesa, no caso dos alunos de nações que não fazem parte da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

O processo seletivo do PEC-G é realizado anualmente, com inscrições no final do primeiro semestre, nas missões diplomáticas brasileiras ou repartições consulares. Na inscrição, é necessário apresentar histórico escolar e Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros (Celpe-Bras). Os candidatos de países que não aplicam  o Celpe-Bras, após a Seleção do PEC-G, serão submetidos ao curso de português do Celpe-Bras.

Inscrições 2015: 4 de maio a 3 de julho - veja aqui

A seleção do PEC-G é rigorosa e realizada por docentes e técnicos das instituições de ensino superior (IES) brasileiras participantes do programa. Eles analisam o histórico escolar do candidato e adequação do currículo do ensino médio ao(s) curso(s) de graduação pretendido(s). O resultado é divulgado em dezembro.

Os estrangeiros selecionados pelo PEC-G, principalmente os oriundos de países africanos, também podem concorrer a uma bolsa no valor de um salário mínimo. O Projeto Milton Santos de Acesso ao Ensino Superior (Promisaes) visa cooperar para a manutenção dos estudantes durante o curso, já que muitos vêm de países pobres. Os interessados devem estar regularmente matriculados em universidade credenciada do PEC-G e ter bom desempenho acadêmico.

Mais informações no sítio do PEC-G, no sítio do Promisaes, pelo e-mail pecg@mec.gov.br ou, ainda, telefone (61) 2022-8177 (o código do Brasil é 55).

Pagina del PEC-G en español

PEC-G website in english

Unila e Unilab

Em 2010, foram criadas duas universidades federais voltadas para a integração de alunos brasileiros e estrangeiros: a Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila) e a Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab).

A Unila oferece vagas para estudantes de todos os países da América do Sul, com exceção das Guianas, por questão do idioma. A seleção dos estudantes estrangeiros é realizada pelo respectivo Ministério da Educação ou órgão correlato dos seus países.

A Unilab possui parceria com Angola, Cabo Verde, Guiné Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor Leste. Os estudantes desses países devem se inscrever no vestibular, pelo sítio da Unilab, e entregar os documentos exigidos na Embaixada do Brasil localizada em seu país.









Receber respostas por email


  • segunda-feira | 08/02/2016 | Afonso dos San...

    Pretendo adquirir uma bolsa de estudo, tenho ensino medio feito e uma idade favorável.

  • segunda-feira | 08/02/2016 | Afonso dos San...

    Pretendo adquirir uma bolsa de estudo, tenho ensino medio feito e uma idade favorável.

  • segunda-feira | 08/02/2016 | Alcides Ali Ar...

    Respondo pelo nome de Alcides, sou um técnico formado em agropecuária e que tenho um grande desejo de continuar com os meus estudos no estrangeiro. Apresento esta minha preocupação porque não possuo condições financeiras para continuar com os mesmos. Sou de uma família que não possui condições para pagarem com os meus estudos, fui formado num ensino que era por competências e pelo que os meus documentos que me certificam das minhas qualificações. espero pela resposta da vossa parte. Obrigado pela atenção

  • sábado | 06/02/2016 | Cesaltino Pedr...

    Minhas especiais saudaçoes, essa página éa que eu buscava sempre tive o sonho de estudar em uma universidade Brasileira. Sou estudante de nacionalidade Angolana, estudo em Cuba na universidade de Cienfuegos no curso de Engenharia em Agronomía. Gostaria saber se seria possivel increver-me em uns dos cursos para o acesso em um mestrado. Espero pela vossa resposta

Brasil Escola nas Redes Sociais